Siga-nos

Política

Mulheres na Política: O que muda com o aumento da participação feminina na Câmara de Vereadores?

Nas eleições 2020, 6 vereadoras foram eleitas, quatro delas contaram como isso pode repercutir no trabalho do poder legislativo de

Barreiras

Publicado

em

Mulheres na Política

Não há dúvidas de que a presença das mulheres na política incentiva a discussão de temas sociais importantes, como assédio, maternidade, carreira, igualdade social, entre outros assuntos relevantes. Mas apesar do avanço sobre a importância da participação feminina no debate público, ainda existe um longo caminho a se percorrer no Brasil.

De acordo com o Mapa da Política de 2019, apesar da maior parte da população brasileira ser composta por mulheres, apenas 15% conseguem ocupar algum cargo político a partir das eleições, o que equivale a 12,32% dos 70 mil cargos eletivos que existem no país.

Além disso, apenas 13% dos senadores e 15% dos deputados federais são mulheres. Segundo a Organização das Nações Unidas, esses dados colocam o país na 140ª posição, entre 193 países pesquisados, no ranking de representatividade feminina no parlamento.

E isso é só uma amostra da sub-representação das mulheres na política. Vale lembrar que, mesmo com a lei que assegura as cotas eleitorais, o percentual de mulheres que foram efetivamente eleitas e permanecem no poder é quase o mesmo desde 1940.

Mulheres na Política
Carmélia da Mata e Dra. Graça

Por isso, qualquer avanço ou mudança representativa que ocorra após as eleições é motivo de alegria e pode ser considerada como uma oportunidade de enriquecer o debate público. E foi o que aconteceu em Barreiras, já que as eleições 2020 mudaram o rumo político dos próximos 4 anos.

Mulheres na política de Barreiras

Atualmente, Barreiras conta com 19 representantes no poder legislativo da cidade. Nas eleições de 2016, apenas 3 mulheres foram eleitas para ocupar uma vaga na Câmara Municipal. Mas em 2020, esse número dobrou, o que significa que entre 2021 e 2024, o município contará com 6 representantes femininas no legislativoDra. Graça, Tetéia Chaves, Missionária Ivete Ricardi, Carmélia da Mata, Irmã Silma e Beza.

Num cenário político dominado histórica e culturalmente por homens, a eleição dessas vereadoras representa um avanço político e uma mudança na mentalidade da população, que começa a enxergar o valor das mulheres na política.

“Isso quer dizer que os barreirenses acreditam na força da mulher como representante e falando sobre mim, já é a terceira vez que o barreirense me conduz ao cargo como representante desse povo que amo tanto”, completou Dra. Graça.

Além disso, a presença das mulheres na política barreirense deve mudar o debate público acerca das questões sociais, educacionais e de violência, áreas que ainda carecem de mudanças no município.

“Devemos conversar, debater sobre os variados temas, principalmente nas escolas e nos diversos núcleos familiares, promovendo o diálogo respeitoso e compreendendo que é necessário oportunizar a voz daquelas mulheres que são oprimidas pelos abusos, sobretudo as diversas formas de violência(…) Eu, Teteia Chaves, e as demais colegas eleitas daremos voz a essas mulheres, através da efetivação de políticas públicas municipais de combate à violência e proteção aos direitos das mulheres”, acrescentou Teteia Chaves.

A vereadora, eleita e diplomada, Carmélia da Mata, também lembrou que a presença de mulheres na política, em especial da Câmara, também permite que as mulheres tenham mais visibilidade.

“A participação da Mulher no Legislativo tem buscado a cada dia ocupar o seu espaço, de onde tem sido distanciada. Hoje, já se faz parte expressiva, não apenas do mercado de trabalho, independente da profissão escolhida, mas de vários setores da sociedade, sendo, inclusive, maioria nas universidades. Aos poucos, vem tentando fazer-se igual nos direitos e na participação social, de forma a garantir o que lhe é assegurado pelo texto constitucional, com uma presença significativa também no âmbito político”, completou Carmélia.

Quando questionada sobre o impacto das mulheres na política barreirense, a Missionária Ivete Ricardi chamou a atenção para o fato de que a população não tem mais confiança na classe política, mas que a representação feminina na Câmara agirá com dignidade, qualidade, decência e compromisso com a população.

“Nós mulheres lutamos em prol de uma saúde de qualidade, de educação, de cultura, de qualidade, de desenvolvimento e geração de emprego. Barreiras precisava desse impacto de representatividade feminina na câmara municipal e, graças a Deus, o eleitor barreirense entendeu que é necessário dar mais participação à mulher no processo político. E isso aconteceu, e eu fiquei muito feliz de ser uma das representantes da classe feminina, para que nós possamos lutar por uma política, de qualidade, de decência, de compromisso com nossa cidade de Barreiras”, ressaltou Ivete Ricardi.

Mulheres na Política
Tetéia Chaves e Missionária Iveti Ricardi

Além disso, a vereadora ainda defendeu que as mulheres devem trabalhar para a melhoria das condições sociais dos barreirenses, bem como lutar pela geração de empregos na cidade, algo crítico nessa pandemia.

“Precisamos nos preocupar também com a geração de emprego nessa cidade, Barreiras precisa de indústria, Barreiras precisa de mulheres guerreiras que também tenham a consciência de mostrar ao gestor público que nós precisamos urgentemente gerar emprego nessa cidade, incentivando os grandes empresários a vir, a investir na cidade de Barreiras, para que nós tenhamos a geração de emprego”, completou Ivete Ricardi.

Dessa forma, percebe-se que as mulheres na política barreirense querem aproveitar sua força política e o privilégio de ser eleita num país politicamente dominado por homens, para dar voz às pautas femininas e para lutar pela melhoria das condições de vida dos barreirenses.

Seja integrante de nossos grupos de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 01
Falabarreiras Notícias 02
Falabarreiras Notícias 20
Falabarreiras Notícias 42

Fala Barreiras