Siga-nos

Política

Presença de psicólogo em escolas municipais pode se tornar lei em Barreiras

O papel desse profissional é o de agente de mudanças neste ambiente, buscando promover a reflexão e conscientização dos grupos que compõem a escola acerca do melhor funcionamento do processo educacional

Publicado

em

Imagem destaque | Reprodução Nova Escola

O projeto nº 029/2019 de 16 de abril, de autoria da vereadora Silma Alves (PRB), está tramitando na Casa e dispõe sobre a obrigatoriedade da presença de profissionais de psicologia nas escolas de ensino infantil e fundamental para que o profissional atue junto às famílias, corpo docente, discente, direção e equipe técnica, visando um melhor desempenho dos estudantes, na relação professor-aluno, e aumento da qualidade e eficiência do processo educacional.

Para a vereadora, a escola é um dos campos de reflexão e intervenção do psicólogo escolar e a construção de intervenções no processo educativo constitui uma das principais direções do trabalho nas instituições.

Silma Alves considera que a presença do psicólogo nas escolas, além dos aspectos de diagnóstico, pode ter um caráter preventivo importante, uma vez que possibilita a identificação precoce de situações que podem atrapalhar o desenvolvimento dos estudantes, como transtorno do déficit de atenção, hiperatividade, fobias, compulsão, ansiedade, bullyng e uso de drogas.

Após análise e parecer favorável das Comissões Permanentes, o projeto seguirá para votação em plenário.

3 Comentários

1 Comentário

  1. Ualisson

    21 de maio de 2019 às 13:14

    Parabéns, e que tudo der certo, isso vai ser um marco para a comunidade escolar de Barreiras

  2. Carla

    21 de maio de 2019 às 19:58

    Muito necessária a presença de psicólogos nas escolas, mas é importante compreender bem qual o papel deste profissional. Vale a pena discutir com especialistas da área para que a lei reflita uma atuação adequada na escola.

  3. Carla Tartari

    21 de maio de 2019 às 21:08

    Considero o projeto essencial para compreender as demandas sócio-afetivas das familias e dos alunos que interferem diretamente no desenvolvimento educacional destes, além de buscar ter um olhar também sobre a saúde mental e emocional dos profissionais que atuam na escola para que possam ter qualidade de vida profissional. Eu mesmo atuo a 22 anos na rede municipal como coordenadora e já iniciei o curso de Psicologia em função dessas demandas que me deparo diariamente nas escolas. Mas é importante conhecer a atuação do psicólogo escolar dentro da instituição que faz um trabalho conjunto com a equipe, até identifica as necessidades de atendimento clínico, mas não é este o seu papel dentro da escola. É importante que haja outros psicólogos que farão o atendimento clínico fora do ambiente escolar, para que não ocorre confusão de papéis e a comunidade tenha suas necessidades atendidas de forma plena. Mas é claro que só o psicólogo escolar já será um grande conquista para a comunidade em geral. Parabéns à vereadora pela iniciativa. Os educadores estão clamando por socorro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *