Siga-nos

Bahia

Primeira embarcação de pesca oceânica da Bahia realiza testes e fará doação de pescado

Publicado

em

Josalto Alves | Ascom Seagri

01A primeira das quatro embarcações para pesca oceânica, resultado de convênio entre a Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri), através da Bahia Pesca, Ministério da Pesca e Banco do Nordeste do Brasil (BNB), está ancorada no Terminal Pesqueiro de Salvador, finalizando os testes para entrar em operação. Com capacidade para 35 toneladas de pescados, o barco, batizado como COOMPI-I, foi entregue à Cooperativa de Pescadores de Itacaré, que receberá ainda outro barco. A Cooperativa de Pescadores de Camaçari, no Litoral Norte de Salvador, também será atendida com duas embarcações. Um segundo barco, segundo o estaleiro Estalbrás, de Maceió, já está pronto, e outros dois em processo de construção.

Na manhã dessa quarta-feira, 11, o secretário da Agricultura, Paulo Câmera, e o presidente da Bahia Pesca, Dernival Oliveira, visitaram a embarcação, que realizou testes dos equipamentos pescando em mar aberto, e retornou ao terminal com cerca de três toneladas de pescados, parte dos quais será doada às Obras Sociais Irmã Dulce, e o restante comercializado.

“A Bahia, com 1.200 quilômetros de costa, não tem frota de barcos de pesca em mar aberto. Essa realidade será mudada, e esse representa o primeiro passo nesse sentido”, disse o secretário. Para Agnaldo Green, diretor da Cooperativa de Pescadores de Itacaré, “trata-se de uma mudança de estrutura que em muito vai influenciar as atividades de pesca na Bahia”.

A construção das quatro primeiras embarcações faz parte do Pró-Frota (Programa Nacional de Financiamento da Ampliação e Modernização da Frota Pesqueira Nacional) que financia a aquisição de barcos pesqueiros para a pesca oceânica para cooperativas de pescadores em todo o País. O Pró-Frota tem por objetivo incentivar a formação de uma frota genuinamente brasileira; incrementar a produção nacional de pescado; recuperar recursos que estão em situação de colapso, promover a exploração da Zona Econômica Exclusiva e de águas internacionais, e proporcionar a eficiência e sustentabilidade da frota pesqueira costeira, continental e oceânica.

02

Barreiras Notícias - Fala Barreiras