Siga-nos

Destaques

Como anda a saúde mental dos professores em tempos de pandemia?

A professora Carla Tartari comenta, em vídeo, sobre os desafios e angústias do professor nesse período de pandemia

Publicado

em

O professor foi um dos profissionais mais afetados pelas mudanças promovidas pela pandemia de COVID-19 , que exigiu várias adaptações no trabalho desse profissional, atingindo, como consequência, a sua saúde mental. A professora Carla Tartari, que conhece bem essa realidade, concedeu uma entrevista ao Canal do Fala Barreira no Youtube para falar como anda a saúde mental dos profissionais de educação nesse período de pandemia.

Confira, no vídeo ao final desta matéria, a entrevista completa com a professora Carla Tartari.

Além de professora formada em pedagogia na Uneb e pós-graduada em educação infantil, supervisão escolar, psicopedagogia e neuropsicopedagogia, Carla Tartari trabalha há 24 anos na rede municipal de Barreiras e atualmente é estudante do curso de psicologia e coordenadora numa escola no bairro Ribeirão. Por isso, ela tem formação e experiência profissional para falar sobre esse assunto.

O trabalho do professor longe da escola

Segundo Carla Tartari, o afastamento do professor do convívio com os estudantes afetou muito o seu trabalho, uma vez que o vínculo entre professor e aluno, que também é importante para o processo de ensino-aprendizagem, não se estabelece da mesma forma durante as aulas online.

Além disso, Carla relatou que o professor precisou se adaptar sozinho a essa nova realidade de ensino e, sem amparo nenhum do governo, teve que investir seu próprio dinheiro e se reinventar para lidar com os desafios do ensino a distância. Segunda ela, esse desamparo é um dos fatores que tem gerado muita angústia e ansiedade no profissional da educação.

Confira, no vídeo ao final desta matéria, a entrevista completa com a professora Carla Tartari.

“Eu falo para você, como servidora pública, que nós não tivemos um aparato tecnológico. O professor teve que usar seus recursos próprios. Muitos tiveram que comprar celular novo, pagar internet melhor, teve que se adaptar, teve que fazer todo um investimento”, declarou Carla Tartari.

Os desafios enfrentados pelo professor durante a pandemia

Um dos problemas apontados por Carla e que tem afetado o trabalho do professor é não conseguir acompanhar o desenvolvimento do estudante. Ela ressaltou que a realidade do aluno de escola pública é diferente daquele que frequenta a escola particular, porque muitas vezes a família não possui recursos tecnológicos, como celulares, computadores ou um acesso à internet de qualidade, que permita que o estudante realmente consiga participar da aula.

“O professor não tem nenhum feedback. O professor fica angustiado por isso, porque ele não tem esse controle e ele não tem, muitas vezes, o retorno da família, então ele não sabe o que está acontecendo lá na casa do aluno dele”,

ressaltou Carla Tartari.

Outro problema que surgiu em função da pandemia de COVID-19 foi a falta de limite para o exercício do trabalho remoto. Nessa realidade online, parece que o professor precisa ficar a disposição o tempo todo para os alunos e familiares, incluindo feriados e fins de semana, o que acaba gerando muito estresse e ansiedade. Por isso, Carla ressaltou que os professores têm trabalhado muito mais no ensino remoto do que nas aulas presenciais.

Carla também contou que a gestão municipal não disponibilizou nenhum serviço de amparo psicológico para esses professores, o que poderia ajudá-los a enfrentar esse momento delicado.

Confira, no vídeo ao final desta matéria, a entrevista completa com a professora Carla Tartari.

Dicas para melhorar a qualidade de vida do professor

Carla Tartari também compartilhou algumas dicas para ajudar os professores a melhorarem sua qualidade de vida nesse período. Primeiro, ela ressaltou que o professor precisa se conscientizar de que ele não pode se cobrar tanto por algo que ele não tem controle, por algo que ele não pode resolver e que é responsabilidade de outros setores.

Ela também reforçou que é fundamental colocar um limite nos horários de trabalho, para que o professor consiga se dedicar a sua vida pessoal, a família e aos seus próprios afazeres domésticos. Além disso, Carla lembrou que é fundamental ter momentos de lazer, realizar exercícios físicos e contar com uma rede apoio de amigos, colegas e familiares para enfrentar os desafios desse período de pandemia.

A professora ainda comentou sobre outras angústias e fragilidades que o professor tem enfrentado nesse período.

Confira, no vídeo abaixo, a entrevista completa com a professora Carla Tartari.

Seja integrante de nossos grupos de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 01
Falabarreiras Notícias 02
Falabarreiras Notícias 20

Fala Barreiras