Siga-nos

LEM

Junior Marabá entrega casa construída do zero para família que morava em barraco

Hoje eles podem criar as meninas com mais qualidade de vida e dignidade”, disse o prefeito

Publicado

em

Junior Marabá casa construída

De um simples barraco de lona para um lar digno e acessível: a história da família de Marcos e Dona Elizangela é um testemunho da transformação que Luís Eduardo Magalhães está vivenciando. A cidade abraça cada morador, e juntos, constroem um futuro melhor | Foto: Divulgação

O prefeito de Luís Eduardo Magalhães, Oeste da Bahia, Junior Marabá realizou na manhã dessa sexta-feira (18), a entrega da casa nº 58 do Programa Meu Lar. Os beneficiários foram o casal Marcos e Elizangela, moradores do Top Park. A residência foi construída praticamente do zero, porque antes a família vivia em situações precárias, em um barraco improvisado, de lona e madeira.

Dona Elizangela, que se recupera de um AVC e precisa se locomover utilizando a cadeira de rodas, se surpreendeu com uma casa completamente acessível. “Estou muito feliz, eu consigo passar pelas port as, entrar no banheiro”

, comemorou, e agradeceu ao prefeito. “Muito obrigada prefeito Junior, não só por mim, mas por todo mundo que você tem realizado os sonhos”, disse emocionada.

Um momento de transformação capturado em um sorriso: a família encontra esperança sob o olhar atencioso de Marabá | Foto: Divulgação

O prefeito Junior Marabá visitou a família em maio e se comoveu com a situação. “Quando estivemos aqui pela primeira vez, as condições de vida eram muito difíceis. Uma família de cinco pessoas, o Marcos, a dona Elizangela e mais três filhas, convivendo embaixo de uma lona. Tivemos que intervir”, contou. “Hoje eles podem criar as meninas com mais qualidade de vida e dignidade”, finalizou.

Da adversidade à esperança: ANTES, a antiga realidade da família sob uma lona; DEPOIS, o sonho concretizado de uma moradia digna. As transformações de Luís Eduardo Magalhães são vividas em cada tijolo, cada sorriso | Foto: Divulgação

Marcos que é catador de material reciclável e faz esculturas para complementar a renda de casa, atualmente é o único responsável pela subsistência da família. Ele contou que essa foi a primeira vez em que uma gestão municipal olhou para a situação dele e da sua família.