Siga-nos

Agro

Índice de vacinação contra a Aftosa pode chegar a 95%

Publicado

em

Foto reprodução

Foto reprodução

O resultado da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa na Bahia será divulgado até segunda-feira (20) e já ultrapassa os 93%. A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) está finalizando a apuração, restando apenas duas das quinze coordenadorias regionais e o índice pode chegar a 95% dos mais de 4 milhões de bovinos e bubalinos com idade até 24 meses a serem vacinados. “O índice de vacinação contra a Febre Aftosa já é maior do que o resultado da primeira etapa de 2013”, diz o secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles.

Na primeira etapa da campanha, realizada em maio de 2013, 91,15% dos animais foram imunizados, registrando um aumento de mais de 4 pontos percentuais. “Isso só foi possível devido aos pecuaristas terem compreendido o esforço do governo do estado em cumprir com o papel de zelar pelo patrimônio pecuário na Bahia, agindo em prol de toda comunidade rural no Estado e garantindo condições mais favoráveis para que o pequeno produtor mantenha seu rebanho livre da aftosa”, ressalta Salles.

Para a segunda etapa de vacinação ocorrida em novembro de 2013, a Adab conseguiu, junto ao Ministério da Agricultura, unificar todo o Estado em apenas uma estratégia vacinal. A Zona de Proteção passou a vacinar apenas o rebanho jovem de 0 a 24 meses, assim como todos os outros municípios da Bahia. Esta unificação da Bahia representa a redução direta da ordem de R$ 13,5 milhões nos custos da produção da pecuária baiana e os criadores dos oito municípios que compõem a Zona de Proteção (Casa Nova, Remanso, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes, Mansidão, Formosa do Rio Preto, Santa Rita de Cássia e Buritirama) também atenderam ao chamado da Adab.

“Por meio de polític as públicas, a Bahia conseguiu amenizaram os efeitos da seca e a Adab decidiu prorrogar o período de vacinação em 15 dias”, diz o secretário, agradecendo o esforço e empenhos das entidades ligadas ao setor, como a Faeb, Fetag, citando apenas algumas delas, e a competência das ações que a defesa sanitária na Bahia é capaz de realizar.

Para a superintendente federal da Agricultura, Virgínia Hagge, é muito recompensador saber que a pecuária baiana está retomando as atividades e “pode sentir o crescimento retratado em números pelo Serviço Oficial de Defesa, o que agrega ainda mais valor para a agropecuária”, informa.
O presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb), João Martins, acrescenta que “o setor vai continuar unindo esforços e apoiando as atividades de defesa para não comprometer a pecuária e, principalmente, o criador”.

“Acredito na recuperação da pecuária baiana abalada após o longo período de forte seca e a Adab encontra-se solícita para os casos de irregularidade na vacinação, para atualização cadastral”, ressaltou o diretor de Defesa Sanitária Animal da Adab, Rui Leal. “Essa é uma demonstração de comprometimento, sensibilidade e atenção dos criadores e dos governos federal e estadual para com a agropecuária baiana”, completou.

O coordenador do Programa de Erradicação e Prevenção contra a Febre Aftosa, Antônio Lemos Maia, completa, ao informar que “o resultado de hoje reflete na qualidade do agronegócio baiano de amanhã, por isso o criador precisa internalizar que é corresponsável na imunização do rebanho e em todas as atividades que promovem a sanidade animal no Estado”.

Em maio deste ano, acontece novamente a primeira etapa da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa e a sanidade animal espera o comparecimento dos criadores baianos para imunizar e declarar todos os bovinos e bubalinos, independente da faixa etária. “No ano de celebração dos 15 anos de criação da Adab, vamos trabalhar para alcançar índices ainda maiores e comprovar que estamos juntos por uma agropecuária mais forte.”, finaliza o diretor-geral da Adab, Paulo Emílio Torres, na expectativa de que em 2014 a Adab retome os índices de cobertura vacinal superiores a 98%, prevenindo a pecuária baiana contra a reintrodução da Febre Aftosa. “Essa é nossa meta, pois se trata de um pacto pelo desenvolvimento da agropecuária baiana”.

Fonte: Ascom Adab

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fala Barreiras