Siga-nos

Moda

Moda sustentável: como entender a longevidade das roupas?

Publicado

em

Imagem meramente ilustrativa | Foto: Freepik

A preservação do meio ambiente é um tema que tem embasado as estratégias de muitas empresas que trabalham na comercialização de roupas e já é aceito por uma grande parte das pessoas, abrindo campo para a moda sustentável.

De uma certa forma a sociedade tem se engajado nesse movimento há um bom tempo, transformando seu pensamento no sentido de colaborar com os recursos que a natureza oferece, preservando-os da melhor forma possível.

Dessa forma, o interesse por esse tipo de moda tem se espalhado consideravelmente, dando formato aos projetos de muitas marcas de renome nacional e internacional, pois é um assunto que nunca passa despercebido e chama atenção nas mídias.

Muitas roupas masculinas para revenda são confeccionadas com tecidos sustentáveis e recicláveis, que independentemente do valor, são bem conceituadas e aceitas pela maioria dos compradores.

Os materiais com os quais essas roupas são produzidas não comprometem o progresso do meio ambiente, e é uma forma de colaboração com a futura geração, cuja educação nesse contexto também tem sido muito observada nas escolas.

O conceito de moda sustentável

A moda sustentável, conhecida como eco fashion, é um método de produção, cujos processos de confecção não prejudicam o meio ambiente, e tanto a criação de roupas e acessórios não afetam o ecossistema na cadeia de produção dos materiais.

Portanto, a moda sustentável não causa nenhum impacto negativo na natureza, o que pode afetar as comunidades que vivem dos recursos naturais. Na verdade, ela colabora inclusive na produção de etiqueta metalizada personalizada, por exemplo.

Para preservar o meio ambiente, a moda sustentável tem como objetivo reduzir a quantidade de poluentes quando os produtos são fabricados, como também a diminuição da retirada de matérias-primas da natureza.

As propostas oferecidas pela moda sustentável

Esse conceito moderno de produzir roupas e acessórios propõe algumas mudanças nos projetos de confecção de muitas empresas, tais como:

  • Criação de uma moda sem desperdício ou zero-waste fashion;
  • Uso de tecidos eco-friendly: ecologicamente correto;
  • Slow fashion, peças fabricadas em quantidades limitadas;
  • Processos de tingimento natural;
  • Produção de peças atemporais.

A moda sustentável concebe um novo olhar sobre o modo de produzir itens de vestuário e o movimento slow fashion (“moda lenta”) é um processo em massa que tem como prioridade a quantidade na produção a custos bem menores.

O slow fashion valoriza cada etapa do processo de produção, desde a utilização dos insumos até a venda dos produtos, que tendem a ser muito mais duráveis, uma grande exigência do consumidor atualmente. 

Para um microempreendedor na área, essa nova visão de uma moda sustentável é muito favorável, já que ela tem sido muito valorizada entre os consumidores, pois os recursos e mão de obra locais de onde ele se encontra são muito mais utilizadas.

Isso favorece o comércio nessas áreas, dando mais condições às pessoas que podem vender seus produtos e manter sua subsistência com muito mais recursos financeiros.

Muitas lojas veiculam suas propagandas através dos meios de transporte e uma ótima ideia é realizá-las por meio de um busdoor criativo, expondo os modelos de roupas dessa nova tendência.

A moda sustentável, como abordado anteriormente, tem como base a utilização de recursos oriundos de materiais disponibilizados pelo meio ambiente, transformando a relação do indivíduo com a moda e as suas escolhas de consumo.

Assim como a moda sustentável se utiliza de produtos da natureza e recicláveis, o mesmo pode ocorrer em uma empresa que produz caixa de pallet de madeira, por exemplo.

Portanto, o seu funcionamento nas indústrias têxteis têm colaborado na economia do uso da água e na redução de produtos químicos que, quando utilizados, interferem radicalmente na saúde dos trabalhadores, causando imensos danos nessa área e na saúde.

E ainda vale ressaltar que muitas lojas, atualmente, reportam ao uso da mão de obra escrava, o que acontece em alguns países, abusando indiscriminadamente dos trabalhadores.

Por isso, essa opção de consumo sustentável de roupas tem sido muito utilizado em várias empresas e o seu crescimento vem ocorrendo bem rapidamente e já é uma tendência muito bem aceita pela grande maioria das pessoas.

Ainda no sentido das propagandas, uma fachada de loja de roupas femininas pode utilizar de recursos visuais voltados à natureza, para chamar a atenção do consumidor, por exemplo.

Vale ressaltar que a moda sustentável, em virtude dos materiais utilizados, tornam as roupas e acessórios muito mais duráveis trazendo, obviamente, mais economia para o bolso do consumidor.

Benefícios da moda sustentável

Para as empresas que optam pela sustentabilidade na produção de suas roupas, essa nova visão de total apoio à con servação do meio ambiente traz benefícios extremamente importantes, tais como:

  • Eliminação do uso de materiais de procedência animal;
  • Diminuição dos agentes poluidores do ar, água e solo;
  • Retorno dos resíduos para o processo produtivo;
  • Diminuição do consumo de energia e água na produção;
  • Diminuição da emissão de gases poluidores.

Portanto, é notório o quanto a moda sustentável colabora com a natureza, com os indivíduos e com toda a cadeia de produção dos materiais que são utilizados.

Então, para entrar na moda sustentável, a lista abaixo dá algumas dicas de como os consumidores devem proceder:

  • Comprar em brechós;
  • Evitar tecidos de microfibra;
  • Organizar o guarda roupa frequentemente;
  • Valorizar a produção local de roupas;
  • Priorizar as peças duráveis;
  • Dar preferência a peças orgânicas;
  • Conhecer a origem das roupas compradas;
  • Descartar corretamente as peças que não são usadas.

Os brechós são opções muito boas para adquirir conscientemente roupas e acessórios, pois neles são encontradas peças para diferentes gostos e preços variados.

Sem contar com o fato de que existem brechós beneficentes onde podem ser garimpadas peças muito mais baratas e muito bonitas, desde as mais modernas até as mais clássicas e luxuosas.

Ao evitar o uso de tecidos de microfibra, a pessoa estará colaborando com a preservação da limpeza dos oceanos, porque suas partículas são muito pequenas e difíceis de serem dissolvidas.

No lugar desse tipo de tecido, as peças confeccionadas em algodão orgânico são muito melhores, porque o material é retirado de uma fonte renovável e também podem ser reciclados.

Ao organizar o guarda roupa, a pessoa pode selecionar as peças que não são mais usadas e doá-las para quem precisa ou até mesmo vender para um brechó. E ainda é possível transformar peças velhas em outras com estilizações.

É uma forma de sustentabilidade, porque isso evita a compra de peças novas, e uma saia, por exemplo, pode ser transformada em um short, ajudando na economia financeira e criando peças únicas para os consumidores.

A valorização da produção no comércio local também é uma forma de consumir conscientemente. Sempre existem pequenas marcas muito boas para serem compradas e essa atitude colabora com os comerciantes de lojas menores.

Um dos maiores hábitos de quem quer entrar no consumo consciente de roupas é adquirir peças com vida longa útil, evitando o consumo desenfreado de peças novas.

Uma maneira também de aderir à moda sustentável é optar por peças produzidas com tecidos orgânicos, porque a sua confecção causa um impacto bem menor no meio ambiente.

Conhecer a origem das peças é fundamental e para isso uma boa pesquisa deve ser realizada, para descobrir com que tipo de matéria prima ela foi produzida e qual é o processo por trás da produção.

Algumas roupas demoram anos para se decompor, por isso deve-se evitar o máximo de descarte, mas quando ele for feito é preciso ser da forma correta por meio de postos de coleta, por exemplo.

Uma informação muito pertinente ao assunto refere-se à licença cesteb microempresa. Como ela fiscaliza, controla e monitora as atividades que podem prejudicar o meio ambiente, o pequeno empresário precisa tê-la, para poder atuar na comercialização.

Cuidando adequadamente das roupas elas vão durar muito mais, trazendo benefícios ao meio ambiente, evitando inclusive o desperdício de água. Abaixo seguem algumas dicas de como conservá-las por mais tempo:

  • Lavar as roupas com menos frequência;
  • Remover manchas antes da lavagem;
  • Ler as instruções de lavagem da roupa;
  • Deixar as roupas secarem de forma natural;
  • Configurar a máquina de lavar de acordo com o tecido;
  • Ter cuidado no momento de pendurar as roupas no varal;
  • Passar a roupa na temperatura de acordo com o tecido;
  • Regular a secadora na temperatura adequada à cada tecido;
  • Passar a roupa respeitando cada tipo de tecido;
  • Atentar-se a forma de guardar as roupas no armário.

Seguindo adequadamente essas dicas, as roupas tendem a ter uma maior longevidade, porque são instruções essenciais para que elas não estraguem rapidamente.

Inclusive, ao utilizar uma prensa de passar roupa a vapor, é necessário muito cuidado com a temperatura, valendo mais a pena deixá-la secar ao sol, porque essa vapor pode fazer com que o tecido fique enrugado, por exemplo.

Os valores destas roupas devem ser muito bem pesquisados, porque ao serem confeccionadas com materiais produzidos pelo meio ambiente, pode ser que muitas lojas abusem dos preços, por isso torna-se interessante adquiri-las de pequenos vendedores.

O assunto sustentabilidade envolve diversos aspectos, desde preços até o conhecimento total se a empresa realmente está engajada nessa moda. Assim como é necessário cuidar do processo de reciclagem CNH valor procurando sempre a melhor opção.

Considerações finais

A moda sustentável veio como mais um apoio na preservação do meio ambiente e as empresas que adotam esse sistema conseguem ser muito bem visualizadas e conceituadas pela grande maioria das pessoas na sociedade atual.

Sendo assim, um empreendimento que decidir investir nesse formato de negócio pode conseguir se destacar dentro do mercado, além de ajudar a preservar o planeta.  Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Visited 1 times, 1 visit(s) today
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *