Siga-nos

Vida e Saúde

Saúde: saiba as sete doenças mais comuns após os 50 anos de idade

Publicado

em

Imagem meramente ilustrativa | Foto: Reprodução Freepik

Após os cinquenta anos, o cuidado com a saúde deve ser redobrado. Quem já se cuida precisa se cuidar ainda mais. Já os que deixaram a saúde de lado e não se cuidaram até então, precisam urgentemente repensar nos seus hábitos, e passar a ter uma rotina de busca de maiores cuidados.

Pensando em fazer mais um alerta para que todos tenham mais saúde e consequentemente mais qualidade de vida, o médico Roberto Yano, cardiologista e especialista em marca-passo, elaborou uma lista de sete doenças comuns que ocorrem após os 50 anos.

1- Doenças cardiovasculares

“Essas são as doenças que mais matam no mundo. As doenças cardiovasculares matam muito mais do que todos os tipos de câncer juntos, e passam a ser mais prevalentes nas pessoas com mais de 50 anos de idade. Estão englobadas neste grupo a hipertensão, o infarto, o derrame cerebral e a insuficiência cardíaca. Com o envelhecimento, as nossas artérias vão endurecendo e a pressão arterial tende a aumentar. O sedentarismo, a obesidade, o tabagismo e uma alimentação inadequada também podem favorecer o aparecimento precoce e até o agravamento dessas doenças. Por isso, o ideal é manter sempre os exames cardiológicos em dia, ter uma alimentação balanceada, fazer exercícios físicos regulares, parar de fumar e manter-se no peso ideal”, explicou.

2- Diabetes Mellitus Tipo 2

“Essa doença tem muito a ver com a má alimentação, estilo de vida inadequado, mas também tem relação com a hereditariedade. O diabetes ocorre quando temos uma baixa produção ou uma má absorção de insulina, que é o hormônio que regula a glicose no nosso sangue. Os sinais mais comuns de um diabetes descompensado são a sede e a fome em excesso, fraqueza, perda de peso, urinar várias vezes ao dia, e em alguns casos ter náuseas, vômito e até coma. Então se tiver algum desses sintomas, procure um médico”, aconselhou.

3- Alzheimer

“Essa doença geralmente atinge pessoas acima dos 60 anos de idade. No início são sinais de leve esquecimento, sobretudo das memórias mais recentes e depois pode se agravar. Uma pessoa acometida de Alzheimer pode ter nos estágios mais avançados dificuldades até para tomar banho, por exemplo. O idoso deixa de ser independente e passa a depender de pessoas para fazer coisas simples, do dia a dia. Portanto, essa é uma doença que afeta não só ele, mas todos em volta dele. É importante fazer o diagnóstico precoce para poder retardar as suas consequências”, comentou.

4- Osteoporose

“Essa doença atinge mais mulheres do que homens. Ela é a diminuição da massa óssea e nas mulheres, e acontece principalmente após a menopausa. As pessoas acometidas por ela passam a ter ossos mais fracos, ficando mais vulneráveis a fraturas. As vezes o osso fica tão fraco que ele primeiro tem uma fratura, para depois ter uma queda. Existe um exame chamado densitometria óssea, que avalia a densidade da massa óssea. Além das mulheres pós-menopausa e idosos, ela pode ser solicitada para fumantes, pessoas que usam corticoide, etilistas pesados e pessoas muito magras. Fazer exercício físico, incluindo a musculação, vão ajudar e muito na prevenção dessa doença”, falou.

5- Depressão

“A depressão é mais comum em pacientes idosos, mas os sintomas nessa faixa etária, por muitas vezes, não são sintomas típicos, então o familiar precisa ficar atento para que no início dos sintomas ele já o leve ao psiquiatra. O idoso muitas vezes não demonstra tristeza, pode ocorrer uma falta de ânimo em fazer as coisas, falta de interesse, ou sentir-se mais cansado que o habitual. Além da depressão, pessoas dessa faixa etária podem ter mais crises de ansiedade. É muito importante ter a saúde do corpo e da mente alinhados, para potencializar sempre sua qualidade de vida”

, comentou.

6- Catarata

“Caracterizada pela visão mais opaca, essa doença aparece com o envelhecimento, ou pode ser provocada por uma exposição inadequada à luz solar. Pode aparecer mais precocemente e com perda de visão mais rápida nos pacientes com diabetes. Pode ocorrer também a catarata causada por medicamentos, como por exemplo pelo uso crônico da amiodarona, mas a mais comum é a Senil, que aparece com o próprio envelhecimento dos olhos”, adendou.

7- Hipertensão Arterial

“Já citamos que ela faz parte do grupo de doenças cardiovasculares, mas como ela é a doença mais prevalente nas pessoas acima dos 50 anos, precisamos falar um pouco mais. Segundo o Ministério da Saúde, 35% da população brasileira é hipertensa. Ela contribui em 80% dos AVCs e 60% dos infartos. Quem não a trata a hipertensão de forma correta, tem um risco maior de ter insuficiência cardíaca, infarto, derrame, e lembrando que essa é uma doença que não dá sintomas. Por isso, é importante o acompanhamento clínico e fazer os exames de rotina com um bom cardiologista. Além disso, se alimentar bem, fazer exercícios, não fumar e perder peso se necessário são importantes medidas para proteger o seu coração”, finalizou.

Ainda conforme Dr. Yano, é nítido que as doenças mais frequentes após os cinquenta anos são evitáveis, desde que tenhamos hábitos saudáveis. Pautado sempre por temas relacionados a uma melhor saúde das pessoas, o médico acumula mais de 1 milhão de seguidores no Facebook e é dono de um canal com mais de 1 milhão de inscritos no Youtube.

Sobre Dr. Roberto Yano
Dr. Roberto Yano é médico cardiologista e especialista em Estimulação Cardíaca Artificial pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e AMB.

Atualmente suas redes sociais, que traz a #amigosdocoracao, contam com um número expressivo de seguidores. São mais de 2 milhões engajados e distribuídos nos canais do Facebook, Youtube e Instagram.

O principal objetivo do profissional é divulgar informações valiosas aos seguidores, sempre visando os preceitos do código de ética médica.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fala Barreiras