Siga-nos

Vida e Saúde

Dezembro Laranja: Oncologista alerta para a prevenção do câncer de pele

É importante limitar ao máximo a exposição ao sol, usar o protetor solar e chapéu, além de atentar para todas as pintas ou lesões novas ou aquelas que mudarem de características

Publicado

em

Dezembro Laranja

Rita Nogueira | Target Estratégia em Comunicação | Assessoria de Imprensa do HCor

Dezembro é o mês de conscientização e prevenção ao câncer de pele. A campanha Dezembro Laranja, criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, tem o objetivo de conscientizar a população sobre a alta incidência do câncer de pele que, segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país. “O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e pessoas de pele negra, com exceção daquelas já portadoras de doenças cutâneas anteriores. Pessoas de pele clara e sensíveis à ação dos raios solares constituem o principal grupo de risco para o problema”, explica o Dr. Auro Del Giglio, oncologista do HCor.

Embora seja um problema de saúde sério, o câncer de pele pode ser prevenido de maneira relativamente simples. Uma das medidas mais eficazes para a prevenção da doença é, além da diminuição da exposição aos raios solares, a sua detecção precoce, através de exames preventivos de pele, por um dermatologista. “Além disso, também é fundamental a utilização de filtro solar durante todo o dia. Por mais leve que o sol possa parecer ao final da tarde ou no início da manhã, raios solares sempre trazem riscos à saúde cutânea. Tanto que, nos horários de pico solar, entre 10 e 15 horas ou entre 9 e 16 horas, nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, é recomendável evitar exposição solar, mesmo com uso de protetor”, orienta o oncologista do HCor.

Pintas que merecem atenção redobrada:
Segundo o oncologista do HCor as pintas que merecem atenção são aquelas que tem pigmentação irregular, bordas assimétricas e aquelas que mudam de características com o tempo, aumentando de tamanho, espessura ou cor. Qualquer lesão cutânea que apareça deve ser sempre avaliada por um médico.

“É importante limitar ao máximo a exposição ao sol, usar o protetor solar e chapéu, além de atentar para todas as pintas ou lesões novas ou aquelas que mudarem de características (tamanho, espessura e cor)”, alerta Dr. Auro.

Fatores de risco:
O principal fator de risco para o câncer de pele é a exposição solar associada diretamente com a radiação ultravioleta, a qual é considerada a principal causadora de alterações genéticas que, ao se acumularem, levam ao desenvolvimento de neoplasias (crescimento anormal e progressivo de tecido).

Prevenção primária:
É importante reduzir a exposição solar, em especial, nos horários de pico de incidência solar (das 10h às 16h), além do uso de protetor solar, roupas com fotoproteção, chapéus, óculos escuros e restrição da exposição à radiação UV adicional (sendo as câmaras de bronzeamento artificial a fonte mais comum).

Prevenção secundária:
O principal rastreamento de câncer de pele é o exame clínico. É feito por meio de uma intervenção não invasiva, de baixo custo e com ampla aceitação entre os pacientes.

Pacientes de alto risco:
Pacientes com pele clara, olhos claros e sardas, em conjunto com a elevada exposição solar, são fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de pele. Destacamos também que pacientes com história familiar de melanoma também merecem atenção especial.

Barreiras Notícias - Fala Barreiras