Siga-nos

Vida e Saúde

Depilação íntima pode ser prejudicial à saúde, diz estudo

Publicado

em

Correio da Bahia

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Comum entre muitas mulheres, a depilação íntima pode trazer riscos à saúde. Uma recente revisão de estudos, publicada no jornal JAMA Dermatology, provou que o ato de retirar os pelos pubianos está diretamente ligado ao maior risco d e contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

De acordo com informações do Daily Mail, a pesquisa mostra ainda que, ao se submeter a uma depilação, a mulher prejudica a sua barreira mucocutânea, uma membrana da pele. Com isso, a entrada de vírus ou bactérias no corpo fica muito mais fácil de ocorrer. Além disso, a prática pode causar pequenos traumas e lesões na região, aumentando os riscos de a mulher desenvolver foliculite, infecções e queimaduras.

“Indivíduos que depilam seus pelos pubianos deveriam ser informados sobre os possíveis riscos e talvez serem advertidos para se absterem de atividade sexual por um certo período de tempo após a depilação”, diz o estudo.

Se por um lado a depilação pode causar tantos malefícios, ela previne prevenir algumas infecções, além de eliminar a possibilidade de adquirir piolhos púbicos.

Fala Barreiras