Siga-nos

Covid-19

Pesquisadores da UFOB concluem que objetos não influenciam na transmissão da COVID-19

Estudo realizado pelos pesquisadores da UFOB revelou que o ambiente e os objetos não são importantes na disseminação da doença. Saiba mais!

Publicado

em

Desde o início da pandemia, pessoas e gestores públicos criaram o hábito de higienizar objetos e espaços públicos com o objetivo de eliminar a presença da COVID-19 no ambiente. Mas será que esses locais são mesmo capazes de transmitir essa doença? Foi esse o questionamento de um grupo de pesquisadores da UFOB.

Em busca de respostas para essa pergunta, os pesquisadores realizaram um estudo para entender o papel do ambiente na disseminação do COVID-19, incluindo objetos inanimados e até o ar.

O estudo foi conduzido por 8 pesquisadores, sendo que as análises foram realizadas no Laboratório de Agentes Infecciosos e Vetores (LAIVE), coordenado pelo Professor Doutor Jaime Henrique Amorim, em parceria com a UFMG e UESC.

A pesquisa, que começou em junho de 2020, já gerou resultados, que já foram apresentados na forma de artigo intitulado “Inanimate objects and the environment are far from contributing to COVID-19 spread” a uma revista científica.

Esse artigo ainda está disponível na forma de preprint, que é um tipo de manuscrito que ainda deve ser analisado e revisado por outros pesquisadores da área. Apesar disso, esse documento já fornece informações importantes para entender a transmissão da COVID-19 no ambiente.

Mas o que os pesquisadores da UFOB descobriram nesse estudo? Entenda abaixo:

Entenda o estudo realizado pelos pesquisadores da UFOB

Para isso, eles percorreram lojas, supermercados, restaurantes, lanchonetes, bares e diversos pontos comerciais de Barreiras para recolher amostras. Além disso, eles também coletaram materiais no Hospital Eurico Dutra, unidade de saúde de referência municipal para o COVID-19.

Nesse locais, eles coletaram 268 amostras

de frentes de máscaras, telefones celulares, papel-moeda, máquinas de cartão, esgoto, ar e roupas de cama.

Em seguida, os pesquisadores da UFOB submeteram os materiais coletados ao método RT-qPCR, utilizado para detectar a presença da COVID-19.

Após a realização das análises, os pesquisadores chegaram a encontrar células humanas nas amostras. Porém, eles não detectaram nenhum vestígio de COVID-19 nos materiais analisados.

Diante desses dados, os pesquisadores da UFOB concluíram que o meio ambiente e os objetos inanimados não têm um papel importante na transmissão do COVID-19.

Por isso, eles acreditam que a estratégia de uso de desinfetantes para higienizar objetos parece exagerada. Afinal, a transmissão entre pessoas é a grande responsável pela transmissão do coronavírus.

Apesar desse resultado, no texto do artigo, os pesquisadores da UFOB reforçaram a importância do distanciamento físico, do uso de máscaras, entre outras medidas, para o controle da COVID-19 até que a maioria da população receba a vacina contra a doença.

Para conferir o texto do estudo na íntegra, acesse o link abaixo.

Artigo sobre a transmissão da COVID-19 por objetos inanimados

Seja integrante de nossos grupos de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 01
Falabarreiras Notícias 02
Falabarreiras Notícias 20
Falabarreiras Notícias 42
Falabarreiras Notícias 43