Siga-nos

Covid-19

Estudo realizado pelo Instituto Butantan comprova que a vacinação em massa controla a pandemia

O Instituto Butantan vacinou 75% da população do município de Serrana (SP), o que reduziu em 95% o número de mortos por COVID-19.

Publicado

em

Nesta segunda-feira (31), o Instituto Butantan divulgou mais detalhes sobre uma pesquisa, pioneira no mundo, realizada no município de Serrana, no estado de São Paulo.

O objetivo do chamado estudo intitulado Projeto S era entender os efeitos da imunização da população da cidade no curso da epidemia. Ou seja, verificar como a vacina se comporta no mundo real.

E para surpresa dos pesquisadores, a vacinação 75% da população de Serrana reduziu em 95% o número de mortes no município.

Entenda como esse estudo foi realizado.

Como o estudo foi realizado?

Para alcançar seu objetivo, os pesquisadores do Instituto Butantan dividiu o município de Serrana, que tem 45 mil habitantes, em 4 partes. Em seguida, eles aplicaram a vacina CoronaVac em todos os maiores de 18 anos elegíveis, de forma sequencial, em quatro etapas.

Aproximadamente 27 mil pessoas, ou seja, 95% da população adulta da cidade, foram vacinadas entre 17 de fevereiro e abril deste ano, sendo que as pessoas receberam as duas doses da CoronaVac com intervalo de 28 dias.

O que o Instituto Butantan descobriu com essa pesquisa?

Após realizar a vacinação da população, os pesquisadores do Instituto Butantan compararam os dados da incidência de COVID-19 no início do projeto com os dados do restante do estudo.

Dessa forma, eles perceberam que a imunização de toda a população adulta reduziu em 80% o número de casos da doença e ainda diminuiu em 86% o número de internações de pessoas infectadas pelo coronavírus no município.

Além disso, o número de mortes também despencou em 95% após a segunda vacinação do último grupo. Para completar, os resultados ainda mostraram que, apesar de não terem sido vacinados, adolescentes e crianças foram protegidos da doença após a imunização dos adultos do município.

“A redução de casos em pessoas que não receberam a vacina indica a queda da circulação do vírus. Isso reforça a vacinação como uma medida de saúde pública, e não somente individual”, explica o diretor de ensaios clínicos do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, também diretor do estudo.

Os pesquisadores também perceberam que o PRojeto S criou o que eles chamaram de “cinturão imunológico” em Serrana, que é uma barreira coletiva contra o vírus responsável por reduzir drasticamente a transmissão no município.

Afinal, cerca de 10 mil moradores de Serrana que trabalham em outras cidades da Região com alta nos números de COVID-19, não têm transmitido mais a doença.

“A vacina é segura, eficaz, eficiente, de altíssima qualidade, e contribui para prevenir o desenvolvimento da doença, complicações e óbitos entre os infectados. Agora também sabemos que ela provoca efeito benéfico em uma população inteira, protegendo tanto os vacinados quanto os não vacinados e reduzindo a circulação viral de forma expressiva”, explicou o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Seja integrante de nossos grupos de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 20
Falabarreiras Notícias 42
Falabarreiras Notícias 43

Barreiras Notícias - Fala Barreiras