Siga-nos

Sem categoria

Começa a primeira etapa de vacinação contra aftosa na Bahia

Publicado

em

Ascom Adab

A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa de 2014 começou ontem (1º) e vai até o dia 31 de maio em toda a Bahia. A meta da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura, é aumentar cada vez mais a cobertura vacinal, imunizando os 11.103.780 milhões de bovídeos que formam o rebanho baiano, retomando os altos índices vacinais acima de 96%.

A Bahia é detentora do maior rebanho bovino da região Nordeste e nesta etapa todos os bovinos e bubalinos devem ser vacinados, independente da faixa etária. “Nesta campanha estaremos disponibilizando para as revendas e distribuidoras de vacinas contra aftosa o lançamento, diretamente no sistema informatizado da Adab, do volume de venda e aquisição de vacinas pelos produtores”, explica o diretor geral, Paulo Emílio Torres, sobre o novo procedimento que trará a informação em tempo real da aquisição da vacina por parte do produtor e o controle de estoque. Torres ainda prospecta que esta informação dos revendedores diretamente no sistema informatizado servirá para que, em um futuro próximo, o produtor possa declarar a vacinação em casa, sem ter que se deslocar a um escritório da Adab.

Nos últimos onze anos, todas as campanhas foram encerradas com índice vacinal superior a 90%, com a média de 96%, sendo que no ano de 2011 a marca foi de 98,01%. “A Bahia foi um dos estados pioneiros na implantação do programa contra a Febre Aftosa em 1968 e tem apresentado, nos últimos anos, estabilidade sanitária referenciada nacionalmente. Sempre em conformidade com as determinações do Mapa, a Seagri, através da Adab, vem mantendo e garantindo a Certificação Internacional, conferindo à Bahia o status de Livre de Febre Aftosa com Vacinação em maio de 2001”, informa o Secretário de Agricultura, Jairo Carneiro.

A Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb), que tem apoiado as ações de defesa, busca em cada etapa o comprometimento consciente dos produtores para garantir a sanidade do patrimônio pecuário do Estado. “Acreditamos que o criador já tem a consciência da importância de atender as exigências e os chamados da Defesa Sanitária. Mas ainda sim trabalhamos intensamente em todo o território baiano para contribuir positivamente e colocar a Bahia em posição de destaque no cenário agropecuário nacional”, avalia o presidente da Faeb, João Martins.

“Vacine e declare todo o rebanho. Não perca os praz os e datas limites, evitando assim as multas e penalidades”, acrescenta o Coordenador do Programa de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa na Bahia, Antônio Lemos Maia Neto, ao reforçar que a febre aftosa é uma doença altamente contagiosa entre os bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos e animais silvestres.

Avaliação da eficiência vacinal e circulação viral no Estado
Este ano a Bahia irá realizar a sorologia para comprovar ausência de circulação viral nos rebanhos bovídeos do Estado, sendo esta, uma ferramenta oficial exigida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para manter o Status Sanitário do País junto aos organismos internacionais. Concomitantemente também será feito a sorologia para verificar a eficiência vacinal nos animais jovens de 6 meses as 24 meses com o objetivo de verificar a eficiência da vacinação realizada pelos produtores nas propriedades, bem como a resposta nos animais.

Há treze anos a Bahia é reconhecida como zona livre da febre aftosa com vacinação “e está em constante evolução. O Mapa acompanha todo o trabalho realizado pelo serviço oficial de defesa agropecuária. Por isso, solicitou recentemente uma auditoria internacional e agora a avaliação vacinal e circulação viral no Estado, que resultará no nível de eficiência da campanha de vacinação na Bahia”, disse a superintendente federal da Agricultura (MAPA/SFA/BA), Virgínia Hagge.

O diretor de Defesa Sanitária Animal, Rui Leal, comentou que o resultado trará melhorias para o serviço de defesa agropecuária, mas, para isso, o criador precisa ficar atento e vacinar adequadamente, na dosagem correta de 5 ml, independente da faixa etária, com boa conservação da vacina, desde a revenda até a hora da vacinação propriamente dita.

Para que a vacina tenha o resultado esperado e o rebanho esteja livre da febre aftosa, a vacinação deve ser feita nas datas previstas e as vacinas devem ser compradas somente em lojas credenciadas pela Adab, estar dentro da temperatura adequada, de dois a oito graus, e ser transportada em caixa térmica ou isopor com gelo. Seringa e vacina devem permanecer em ambiente gelado até o momento da aplicação, que é feita na tábua do pescoço.

01

Barreiras Notícias - Fala Barreiras