Siga-nos

Eleições 2022

Lula vence no segundo turno e é eleito presidente do Brasil

A Bahia é o segundo estado que mais votou em Lula, dando 71% de votos ao petista no segundo turno…

Publicado

em

Eleições 2022

Lula abraça Janja, a futura primeira dama do Brasil | Foto: Reprodução A Gazeta

A eleição presidencial no Brasil em 2022 foi realizada em dois turnos, nos dias 2 e 30 de outubro, dois domingos, respectivamente, como parte das eleições gerais deste ano. 156,4 milhões de brasileiros estavam aptos a votar no país e no exterior. A votação ocorreu no período de 8 a 17 horas uniformizado pelo horário da capital federal Brasília.

Ao final da contagem de votos, Lula foi eleito presidente da República e Geraldo Alckmin vice-presidente, para um mandato de quatro anos que será iniciado em 1.º de janeiro de 2023 e terminará em 31 de dezembro de 2026. Foi a nona eleição presidencial no país realizada sob a vigência da Constituição promulgada em 1988.

Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), foi eleito presidente da República pela terceira vez neste domingo (30/10). O resultado vitorioso das urnas garantiu a Lula 50,90% dos votos e derrotou, no segundo turno, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), que obteve 49,10% votos.

Em depoimento após o resultado das eleições, Lula agradeceu a Deus pela vitória. “A vida inteira eu sempre achei que Deus sempre foi muito generoso comigo ao permitir que eu saísse de onde saí para chegar onde eu cheguei. E sobretudo nesse momento em que nós não enfrentamos um adversário, nós não enfrentamos um candidato, nós enfrentamos a máquina do estado brasileiro colocada a serviço do candidato da situação para tentar impedir que nós ganhássemos as eleições”, comenta o petista.

A Bahia é o segundo estado do Brasil que mais votou em Lula, dando 72,12% de votos ao petista no segundo turno da disputa presidencial. Dos 417 municípios, no entanto, dois votaram a favor do atual presidente neste domingo (30) e escolheram Jair Bolsonaro (PL) como favorito. Em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste, Bolsonaro somou 58,61% dos votos, enquanto em Buerarema, no Baixo Sul, o conservador marcou 60%. Em Barreiras, Lula também saiu na frente. O candidato obteve 59,47% dos votos dos barreirenses contra 40,53% de Jair Bolsonaro.

O município de Wanderley foi a cidade baiana que mais deu votos a Lula no último domingo. No município, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) obteve 70,86% dos votos válidos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O melhor desempenho do candidato do PT foi no Piauí, onde o candidato a presidente da República eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), obteve 76,90% dos votos válidos. O segundo colocado, atual presidente Jair Bolsonaro (PL), teve 23,16% dos votos. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) oficializou a eleição de Lula com 98,95% das urnas apuradas.

Será a terceira vez que Lula assumirá a presidência da República, com posse marcada para 1º de janeiro. Antes, ele comandou o país por duas vezes: de 2003 a 2006 e, após reeleição, de 2007 a 2010. Jair Bolsonaro, por sua vez, se torna o primeiro presidente desde a redemocratização a não conseguir a reeleição. Além de Lula, Dilma Rousseff (em 2014) e Fernando Henrique Cardoso (em 1998) conseguiram o segundo mandato, após agradar o eleitorado nos primeiros quatro anos.

Lula voltou com força à cena política na corrida pelo terceiro mandato de presidente. Durante a campanha, ele buscou ressaltar o legado das suas gestões anteriores e prometeu retomar algumas de suas políticas consideradas bem-sucedidas, como aumento real do salário mínimo.

Lula também afirmou que vai garantir o pagamento do Auxilio Brasil (ex-Bolsa Família) no valor de R$ 600 por família, com pagamento extra de R$ 150 por criança até 6 anos de idade. Ele também promete ampliar o programa Minha Casa Minha Vida, de habitação popular, que foi substituído pelo programa Casa Verde Amarela no atual governo.

Outras propostas incluem a recriação do Ministério da Cultura e a criação do Ministério dos Povos Originários, para cuidar das questões indígenas e das populações tradicionais.

Fala Barreiras