Siga-nos

Policial

BCS/Santa Luzia realiza entrega de faixas aos alunos do projeto “Na Base da Luta”

Durante a cerimônia, também ocorreu a entrega das medalhas aos alunos que participaram da Copa São Paulo de Kung Fu e Tai Chi Chuan…

Publicado

em

Na Base da Luta

O Projeto “Na Base da Luta”, criado pela Base Comunitária de Segurança (BCS) do bairro Santa Luzia, oferecem aulas de judô, kung-fu, jiu-jitsu, cursos profissionalizantes e eventos comunitários de apoio às famílias carentes, levando assistência pedagógica e educacional para crianças e adolescentes do bairro Santa Luzia e arredores.

Nessa quarta-feira, dia 16 de novembro de 2022, o policial militar e instrutor de Kung Fu do projeto “Na Base da Luta” de artes marciais, Sd PM Wellington do Nascimento Guedes, representando a BCS/Santa Luzia, realizou a entrega das faixas brancas aos seus dezesseis alunos. Instrutor e a Turma homenagearam o CMT da BCS- Ten PM Éder Santos, entregando-o Troféu alusivo à Copa de Kung Fu e uma camisa do projeto idealizado no estado de São Paulo/SP, o qual o Soldado Nascimento é oriundo.

Na Base da Luta

Durante a cerimônia, também ocorreu a entrega das medalhas aos alunos que participaram da Copa São Paulo de Kung Fu e Tai Chi Chuan, que ocorreu on-line no mês de junho desse ano. Na categoria adulto, foi ao podium o aluno Ivan de Souza, em primeiro lugar. Na categoria infantil, foram ao podium a aluna Thallita Thaique, em primeiro lugar, Helric Johnson, em segundo lugar, e Enzo Gabriel, em terceiro lugar. Eles foram avaliados em vídeos ao vivo e em vídeos gravados para a própria competição.

Na cerimônia, o instrutor palestrou brevemente sobre a história do Kung Fu, a origem dessa arte, seu estilo e armas utilizadas, e sobre a sua cultura. Por fim, parabenizou todos os alunos pelo dedicação e disciplina, bem como agradeceu o apoio dos parceiros do projeto, a multinacional Cargill e a AIBA/Fundesis.

Na Base da Luta

Ainda durante a cerimônia, a mãe de um dos alunos do projeto, emocionada, declarou: “A Santa Luzia é um novo bairro após a implementação da BCS. Antes era um bairro mal falado. Hoje, deixo meu filho ir e vir, sozinho, para as aulas na BCS. Mas antes, ele só se deslocava se fosse acompanhado dos pais, devido ao medo de acontecer algo com ele no caminho”, concluiu ela.

Na Base da Luta

Fala Barreiras