Siga-nos

Oeste

UFOB paralisa realização de exames diagnósticos de COVID-19 por falta de insumos

O Ministério da Saúde não tem estoque para repassar aos laboratórios de campanha das universidades, como o LAIVE, que pertence à UFOB.

Publicado

em

Uma crise de desabastecimento de insumos está prejudicando a realização de testes diagnósticos de COVID-19 no Oeste Baiano. Por causa desse problema, o Laboratório de Agentes Infecciosos e Vetores da UFOB (LAIVE), responsável por processar as amostras de pacientes suspeitos de coronavírus de todos os municípios da Região Oeste, está enfrentando dificuldades para dar continuidade ao serviço.

De acordo com o Prof. Dr. Jaime Henrique Amorim, coordenador do LAIVE, a crise de abastecimento de kits de RT-PCR, utilizado no diagnóstico da COVID-19, é decorrente de um problema originado no Ministério da Saúde.

Segundo ele, a Coordenação Geral de Laboratórios (CGLAB), da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, não tem mais estoque para repassar aos laboratórios de campanha das universidades públicas, como o LAIVE, que pertence à UFOB.

“Estamos ainda com a crise. Em função disto, vamos ter uma pausa de dois dias. Estão chegando mais alguns reagentes e semana que vem deveremos retomar. Mas só teremos reagentes para mais uma semana”, explicou o Jaime Amorim.

Diante desse problema, nesta quarta-feira (14), o coordenador do LAIVE irá se reunir com representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações para verificar possibilidade de normalização do abastecimento dos Kits de RT-PCR.

Ainda segundo o Prof. Jaime Amorim, desde o início de 2021, se tornou necessário que os municípios da Região Oeste fornecessem parte dos insumos utilizados no laboratório, uma vez que a primeira etapa do exame demanda reagentes que estão sendo fornecidos exclusivamente pelos municípios atendidos pelo LAIVE.

“É um desafio muito grande manter o abastecimento do laboratório de maneira que o mesmo não suspenda atividades de serviço. Isto porque a demanda mundial pelos insumos utilizados nos exames cria uma pressão muito grande sobre a produção e logística de distribuição”, completou o pesquisador.

Vale ressaltar que, desde o dia 12 de maio de 2020, período que no qual começaram a ser registrados casos de COVID-19 no país, o LAIVE/UFOB já realizou mais de 16.000 exames de diagnóstico molecular do coronavírus.

Através da oferta desse serviço, o laboratório auxilia na identificação e monitoramento de casos de COVID-19 em todos os municípios da Região Oeste, oferecendo informações essenciais para o acompanhamento de infectados, bem como para a elaboração de políticas públicas de enfrentamento à pandemia.

UFOB paralisa realização de exames diagnósticos de COVID-19 por falta de insumos

Seja integrante de nossos grupos de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 20
Falabarreiras Notícias 42
Falabarreiras Notícias 43

Barreiras Notícias - Fala Barreiras