Siga-nos

Brasil

Vídeo: Fumaça em torre do congresso durante simulação causa susto

Saiba o que causou a fumaça em torre do Congresso em Brasília e como a simulação de incêndio afetou a população local.

Publicado

em

fumaça em torre do Congresso

Fumaça em torre do congresso durante simulação causa susto| Foto: G1/ Divulgação

Na última sexta-feira, a visão de fumaça em torre do Congresso assustou a população de Brasília. Uma grande quantidade de fumaça escura foi vista emanando da torre mais próxima à Câmara dos Deputados, capturada em vídeo por uma equipe da TV local e amplamente difundida nas redes sociais.

Esclarecimento Oficial: Uma Simulação Planejada

Brasil– O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal prontamente esclareceu que o evento não era um acidente, mas sim uma simulação de incêndio. Estas simulações são práticas comuns em edificações significativas para testar a resposta a emergências. Durante o exercício, o fornecimento de energia foi cortado e acessos a certas áreas, como as garagens, foram temporariamente fechados para adicionar realismo ao treinamento.

A Comunicação da Simulação e as Reações Públicas

Apesar das simulações estarem agendadas para ocorrerem às 10h e 15h, com avisos prévios que incluíam mudanças no trânsito do Eixo Monumental, a comunicação pareceu não alcançar todos os cidadãos e órgãos governamentais adjacentes. Muitos residentes e trabalhadores das proximidades foram surpreendidos, levantando críticas sobre a eficácia dos métodos de comunicação empregados.

Impacto da Fumaça em Torre do Congresso sobre a Comunidade Local

Entre os impactados, Silvana Maria de Oliveira, uma professora que estava de passagem pelo local, relatou o medo inicial que sentiu, remetendo à tragédia das Torres Gêmeas devido à súbita aparição da fumaça. Outro cidadão, que optou por não se identificar, expressou frustração pela falta de aviso no edifício onde trabalhava, destacando a confusão e o susto causados pelo ruído de sirenes e helicópteros.

A simulação de incêndio no Congresso Nacional mostrou ser uma ferramenta vital para a preparação de emergências, mas também destacou a necessidade de melhorias na comunicação com a população. Para futuras simulações, é fundamental garantir que a informação seja distribuída de maneira ampla e eficaz, evitando pânico desnecessário e garantindo que todos estejam cientes e preparados para responder adequadamente

Este artigo contém informações do G1