Siga-nos

Brasil

Professora da UnB lamenta ataque com vídeos pornográficos em palestra: “Foi brutal”

Professora da UnB lamenta ataque com vídeos pornográficos durante palestra sobre gênero. Evento é interrompido por invasores virtuais.

Publicado

em

Ataque em palestra da UnB

Ataque em palestra da UnB | Foto: internet / Divulgação

No Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, uma palestra na Universidade de Brasília (UnB) foi brutalmente interrompida por invasores virtuais, gerando uma onda de choque entre os participantes. A professora Rose May Carneiro, responsável pela apresentação “Road Movies em uma perspectiva de gênero”, compartilhou sua angústia e frustração após o ataque. “Foi brutal”, lamentou a pesquisadora, visivelmente abalada.

Detalhes do Incidente

Durante o evento, os invasores agiram de maneira coordenada para desestabilizar a apresentação, transmitindo informações falsas e conteúdo inapropriado, como vídeos pornográficos. A professora Rose May comparou a invasão à violência doméstica: “Foi violento como entrar em casa e dar um tiro. Ali era a minha pesquisa, algo que eu tenho o maior amor e entraram de uma forma orquestrada para tentar calar”.

Rose May, que preparou um documento com 34 slides para o evento, destacou a covardia dos invasores. “Eu não sou uma pessoa nostálgica, mas venho de uma época em que o professor era respeitado. Vi a profissão como um motivo de chacota de um grupo que veio em bando e com covardia para desestruturar”, disse a professora, que registrou um boletim de ocorrência para que os responsáveis sejam investigados.

Reações e Medidas de Segurança

A aluna Clara Sales, da Faculdade de Comunicação e membro do grupo de pesquisa Gênero, Comunicação e Sociabilidade (Gecoms), também ficou em choque com a invasão. Os hackers usaram nomes falsos e orientaram os participantes com informações erradas para causar mais confusão. “Eles ficavam orientando que se apertasse ALT+F4 os microfones ficariam no mudo, mas não é verdade. Com esses comandos, quem aperta sai da sala”, explicou Clara.

O Gecoms repudiou veementemente a ação dos hackers. “Iniciativas de promoção da igualdade de gênero são sistematicamente atacados por grupos que utilizam as redes sociais para calar vozes dissidentes, desestruturar debates construtivos e boicotar avanços em prol da justiça social e igualdade de gênero”, declarou o grupo em nota oficial, reforçando a necessidade de um ambiente online seguro.

Apoio Institucional

A Universidade de Brasília se pronunciou sobre o incidente, expressando seu apoio à docente e reforçando o compromisso com a liberdade acadêmica. Em nota, a UnB destacou a importância do uso de plataformas digitais oficiais para a realização de atividades acadêmicas, pois estas oferecem ferramentas para controlar a entrada de participantes nas salas virtuais. “A UnB repudia qualquer forma de violência, agressão ou comportamento inadequado, reiterando seu compromisso com os direitos humanos, pautado pelo respeito mútuo e pela ética”, concluiu a instituição.

O ataque à palestra da UnB sobre gênero revela a fragilidade dos eventos online diante de ataques coordenados. A necessidade de reforçar medidas de segurança é evidente, garantindo que discussões acadêmicas possam ocorrer em um ambiente seguro e respeitoso. A luta pela igualdade de gênero e liberdade de expressão continua, com a comunidade acadêmica unida contra qualquer forma de opressão e violência.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *