Siga-nos

Brasil

Perda de cobertura do seguro auto: o que pode gerar esse problema?

Evite a perda do seu seguro auto.

Publicado

em

Perda de cobertura do seguro auto o que pode gerar esse problema

A maior parte das pessoas que possuem um veículo, obviamente, querem contratar um seguro auto para que possam ter uma maior proteção.

O grande problema é que no momento de fechar o contrato muitas delas omitem informações muito importantes, com o intuito de pagarem menos pelo serviço.

Essa é uma prática extremamente não recomendável, visto que ela pode vir a trazer muitos prejuízos no caso de algum tipo de evento acontecer e você necessitar que o seguro o cubra.

Por tudo isso, nós resolvemos trazer esse artigo para lhe mostrar o que pode gerar a perda da cobertura do seguro auto.

Vamos lá!

Como é que funciona o seguro auto?

O seguro auto trata-se de um serviço que é prestado pelas seguradoras aos proprietários dos veículos, sendo a apólice o contrato que assegura o serviço aos clientes.

Assim, em um seguro auto o contratante deve arcar com o custo da proteção ao seu veículo, que é chamado de prêmio e que é estipulado pela própria seguradora.

Após a realização do pagamento do prêmio, então a empresa seguradora deverá arcar com o conserto ou a recuperação do carro que foi danificado ou subtraído/roubado.

É importante ressaltar, entretanto, que há muitas cláusulas no contrato que precisam ser respeitadas, e que os contratantes necessitam conhecer.

É o caso, por exemplo, da cláusula que indica que a seguradora é obrigada a fazer a cobertura dos sinistros apenas quando o proprietário tiver culpa por eles.

Esses contratos do seguro auto também possuem diferentes condições que implicam no pagamento de uma indenização, então é preciso atentar-se a elas.

O que pode gerar a perda do seguro?

Vamos mostrar agora algumas situações que deixam as pessoas em dúvidas sobre se podem ou não gerar a perda do seguro auto.

Acompanhe!

O motorista no contrato do seguro não dirige, mas sim o filho dele. Há problema nisso?

Um dos casos que gera mais dúvidas é o do motorista do contrato do seguro auto não dirigir e sim o filho dele ou outro parente.

Em situações como essa, há o risco da perda do seguro?

No momento em que você for fechar o contrato do seguro, sendo o contratante, é preciso incluir na lista todas as pessoas que são condutores do veículo segurado.

Isso porque no caso de haver um sinistro, como uma colisão com o veículo, e o motorista no momento não estiver na lista dos condutores, a seguradora responsável poderá negar-se a fazer o pagamento.

Caso você tenha um filho que tirou recentemente a habilitação e quando o seguro foi contratado não dirigia ainda, é preciso notificar a seguradora para incluir esse novo condutor do veículo.

Dessa forma, todos ficarão protegidos e não há o risco de que você venha a sofrer com prejuízos financeiros.

O direito à indenização pelo seguro é perdido em uma colisão em excesso de velocidade?

As colisões por excesso de velocidade costumam trazer inúmeros danos ao veículo segurado, então é comum que os contratantes fiquem com medo de perder o seguro em situações como essa.

Existe uma cláusula que pode vir a implicar no não acionamento do seguro quando o sinistro (o acidente ou a colisão) acontece de forma intencional por parte do motorista.

Se o acidente é causado propositalmente, com o motorista estando acima da velocidade e assumindo o risco, então a seguradora não arca com as consequências e, logo, não paga o valor da indenização.

O mais recomendado é conversar com o corretor de seguro auto para saber em quais casos você pode vir a perder o direito à indenização.

Mentir ou omitir informações para o corretor de seguros auto

Algo que ainda acontece, infelizmente, é uma pessoa interessada em contratar um seguro auto mentir ou omitir informações para o corretor da seguradora, com o intuito de pagar valores mais baixos por um plano.

Se você mentir no momento de fechar o contrato, então é possível que no futuro acabe arcando com enormes prejuízos.

Assim, não diga que você estaciona o seu carro na garagem, se o deixa na rua, apenas para pagar um valor menor.

Caso ele seja roubado ou furtado, ou mesmo haja uma colisão de outro veículo, a seguradora poderá sim negar o pagamento por conta da informação errada que você deu.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fala Barreiras