Siga-nos

Brasil

Ministério da Saúde envia kits para atender vítimas de enchentes em Alagoas

São 10 kits com capacidade individual para assistir 1,5 mil pessoas durante um mês. Pasta também monitora situação do Rio Grande do Sul, atingido por um ciclone

Publicado

em

Ministério da Saúde envia kits para atender vítimas de enchentes em Alagoas

Foto: Divulgação/MS

O Ministério da Saúde enviou 10 kits de medicamentos e insumos estratégicos para atender as vítimas de enchentes em Alagoas. Cada kit tem capacidade para assistir 1,5 mil pessoas durante um mês. A iniciativa faz parte de uma ação rápida para socorrer à situação de emergência em saúde pública causada pelas fortes chuvas que castigam o Estado. Essa medida tem o propósito de fornecer o suporte necessário diante dos impactos dos desastres naturais na região.

Os kits encaminhados para Alagoas pesam aproximadamente 250 kg e podem ser compostos por 48 itens – 32 medicamentos e 16 insumos – como anti-inflamatórios, analgésicos, antibióticos, além de luvas e seringas. Estes produtos desempenham papel fundamental no atendimento à população e na mitigação dos efeitos negativos das condições climáticas extremas na população de Alagoas. Com isso, a pasta busca garantir a proteção da saúde e o bem-estar dos afetados por essas adversidades climáticas.

A iniciativa ressalta a importância de uma resposta ágil e eficiente diante de situações de emergência em saúde pública, reforçando o compromisso do Ministério da Saúde em garantir o apoio necessário para enfrentar os desafios decorrentes de desastres naturais e proteger a vida dos cidadãos.

Monitoramento

A pasta da Saúde monitora, ainda, a situação do Rio Grande do Sul, atingido em junho por um ciclone extratropical, colocando à disposição a estrutura do Programa de Vigilância de Riscos Associados aos Desastres (Vigidesastres) para envio de equipes para auxílio na gestão de uma possível emergência, envio de kits de medicamentos e manutenção dos equipamentos e sistemas de saúde locais em eventual impacto por chuva e ventos.

O órgão realiza o monitoramento permanente de ocorrências de desastres no território nacional, a partir do contato com estados e municípios, bem como compartilhamento de alerta de risco de órgãos como Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), além de oferecer apoio para construção de planos de contingência.

Deslizamentos, enxurradas e alagamentos causados por chuvas intensas podem oferecer sérios riscos à população: cortes, escoriações, acidentes com animais peçonhentos e, em casos mais graves, óbitos, assim como riscos à saúde pelo aparecimento de doenças veiculadas pela água (por contato ou ingestão), como é o caso da leptospirose, diarreias, hepatite A, entre outras, além dos impactos psicossociais causados por essas ocorrências.

As unidades federativas podem acionar o Ministério da Saúde para recebimento de kits e apoio técnico, de acordo com a necessidade de cada região. O apoio é realizado mediante declaração de emergência ou de calamidade pública pelo estado/município e/ou por decreto reconhecido pela Defesa Civil Nacional.

Orientações

Em situações de enchentes, alguns cuidados devem ser tomados para evitar a contaminação por doenças de veiculação hídrica.

  • Água

Deve-se sempre usar a água tratada, que pode ser filtrada com o uso de um filtro doméstico, coador ou pano limpo. Após a filtração, misturar duas gotas de hipoclorito de sódio a 0,25% para cada litro de água e esperar 30 minutos antes de consumir. Outra opção, caso falte o cloro, é ferver a água por cinco minutos antes de consumir.

  • Caminhões pipa

Os caminhões pipa que transportam a água potável também devem ser limpos e desinfetados uma vez ao mês ou quando houver mudança na fonte de abastecimento ou, ainda, quando apresentar contaminação, inconformidade ou outro problema.

  • Alimentos

Os agentes de saúde devem orientar as comunidades atingidas por enchentes a lavarem bem os alimentos consumidos crus, cozinhar bem os que precisam de cozimento e guardar adequadamente. Outro cuidado é o monitoramento das pessoas que estiverem com diarreia. O paciente deve ser orientado a ingerir água para evitar desidratação e, nos casos mais graves, procurar uma unidade de saúde.

Mais informações

Para orientar os gestores municipais e estaduais sobre a prevenção e ações pós-desastre, o Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública por Inundação traz diretrizes específicas. O Ministério da Saúde também disponibiliza cartilhas e guias com orientações voltadas à população por meio do Saúde de A a Z.

Ministério da Saúde

Visited 1 times, 1 visit(s) today
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *