Siga-nos

Brasil

La Niña pode aumentar a estiagem e impactar saúde respiratória

Fenômeno climático pode causar seca e problemas respiratórios na região Sudeste; especialista orienta sobre cuidados preventivos

Publicado

em

La Niña

Especialista alerta sobre os cuidados necessários durante o período de estiagem causado pelo fenômeno La Niña | Foto: IA/Falabarreiras

La Niña e seus Efeitos na Saúde Respiratória

Notícias do Brasil: O inverno começou oficialmente em 20 de junho e, conforme o último boletim do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há 69% de chances de o fenômeno climático La Niña iniciar no final de julho. Este fenômeno, caracterizado pelo resfriamento anormal das águas do Oceano Pacífico, pode reduzir os níveis de chuvas no Sudeste e Sul do Brasil, impactando diretamente a saúde respiratória da população.

Impactos da Estiagem na Saúde

O professor Bruno Moneta, da Escola de Saúde do Centro Universitário Facens, explica que a estiagem, a baixa umidade do ar e a alta amplitude térmica são típicas dessa época. “A região Sudeste vem enfrentando secura e irritação nasal, reações alérgicas devido à poluição, e aumento na produção e retenção de muco nas vias respiratórias, o que pode levar a infecções”, afirma Moneta. O ar seco desidrata as mucosas do nariz, garganta e faringe, facilitando o surgimento de problemas respiratórios como rinite, sinusite, crises asmáticas e agravamento de doenças crônicas.

VEJA AQUI, MAIS SOBRE MEIO AMBIENTE!

Prevenção e Cuidados Necessários

Moneta orienta que a ingestão adequada de líquidos é fundamental para manter as vias aéreas hidratadas. “É importante consumir frutas cítricas ricas em vitamina C, alimentos com glutamina como carnes, peixes, ovos e grão de bico, além de ômega 3 e vitamina D”, destaca. Além da alimentação, evitar a exposição prolongada a baixas temperaturas e poluição é crucial. “Uso de roupas adequadas, lavagem nasal com soro fisiológico e evitar aglomerações são medidas essenciais”

, acrescenta.

Uso de Umidificadores e Manutenção do Ambiente

Manter o ambiente arejado e iluminado é ideal, e o uso de umidificadores pode ser benéfico se usado corretamente. “O aparelho deve ser ligado com antecedência de três a quatro horas antes de dormir para alcançar uma boa umidade no ambiente. Evite mantê-lo ligado a noite toda, pois o excesso de umidade pode proliferar fungos e bactérias”, alerta Moneta. Toalhas úmidas perto da cama também são recomendadas.

VEJA AQUI, MAIS SOBRE SAÚDE!

Considerações Finais

A atenção também deve ser dada aos aquecedores com resistência e aparelhos de ar condicionado na função quente, que reduzem a umidade do ar. “Manter o ambiente limpo, livre de poeira, e evitar cortinas e tapetes ajuda na saúde respiratória, especialmente para grupos de risco”, conclui o professor Bruno Moneta.

O Centro Universitário Facens, um hub de inovação e tecnologia, reforça a importância de cuidar da saúde durante esse período e disponibiliza diversos recursos para a comunidade acadêmica e a população em geral.

Falabarreiras, notícia é pra sempre!