Siga-nos

Brasil

Instituto Butantan divulga que vacina Coronavac é eficaz contra a COVID-19

Coronavac tem taxa de eficácia de 78% contra casos leves e de 100% contra casos graves da doença…

Publicado

em

O Instituto Butantan apresentou os resultados da última fase de testes da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Butantan. Os dados foram apresentados numa coletiva de impressa promovida pelo Governo de São Paulo, que tem investido na compra de doses desse imunizante.

De acordo com os resultados, a CoronaVac tem uma taxa de eficácia de 78% na prevenção de casos leves de COVID-19. Isso significa que, a cada 100 pessoas vacinadas, 78 ficaram totalmente protegidas contra a doença e 22 desenvolveram apenas sintomas leves, sem a necessidade de internação.

Além disso, a CoronaVac tem uma taxa de eficácia de 100% contra casos moderados a graves da doença. Ou seja, nenhuma pessoa vacinada desenvolverá os sintomas mais graves da COVID-19 ou virá a óbito em função da doença.

Com aplausos e gritos de alegria, os pesquisadores do Instituo Butantan comemoraram esses resultados, que fornecem esperança no momento no qual o país ultrapassa a marca dos 200 mil mortos em função da COVID-19.

Vale ressaltar que a taxa de eficiência geral da CoronaVac ainda não foi divulgada oficialmente. Porém, o Instituto Butantan informou que todos os resultados necessários já foram encaminhados para a Anvisa para a realização do pedido do uso emergencial e definitivo da vacina.

Entenda o estudo realizado pelo Instituto Butantan

A CoronaVac foi desenvolvida com uma tecnologia que já é utilizada na fabricação de vacinas há 70 anos. Ela é produzida utilizando o vírus inativo da COVID-19, que é a mesma técnica empregada no desenvolvimento da vacina da gripe e da hepatite A, por exemplo. Além disso, os efeitos colaterais desse tipo de vacina são bem conhecidos e dificilmente ocorrem.

Porém, por utilizar um vírus inativado, a CoronaVac não apresenta uma taxa de eficácia tão alta quanto outras vacinas, como da Pfizer/BioNTech e da Moderna, que utilizam uma tecnologia mais nova e avançada em sua fabricação. Por isso, para um imunizante desenvolvido com uma técnica antiga, a taxa de eficácia de 78% da CoronaVac é considerada excelente pelos especialistas.

No Brasil, o Instituto Butantan realizou a testagem da CoronaVac em 16 centros de pesquisas no Brasil, localizados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de Brasília, no Distrito Federal.

Os testes referentes a terceira fase de estudos começaram em junho de 2020 e foram realizados em 12.400 voluntários, todos profissionais da área da sáude, que lidam diretamente com pacientes infectados com o coronavírus.

Deste total, apenas 218 contraíram a forma leve da doença após serem vacinados.

Início da vacinação com a CoronaVac

O Governo de São Paulo já definiu a data de início da vacinação com a CoronaVac. A campanha de vacinação no estado deve começar no dia 25 de janeiro, sendo que a primeira fase da campanha prevê a aplicação de 18 milhões de doses do imunizante.

O governo do Rio de Janeiro anunciou que deve começar a vacinação no estado neste mesmo dia e que vai adquirir 3,2 milhões de doses da CoronaVac.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello , anunciou que o Governo Federal pretende adquirir 100 milhões de doses da CoronaVac, mas ainda não informou a data do início da campanha de vacinação a nível nacional.

Vale ressaltar que além do Brasil, China, Indonésia, Turquia e Chile já estão utilizando ou pretendem utilizar a CoronaVac na sua estratégia de combate ao COVID-19.

Seja integrante de nosso grupo de WhatsApp!
Falabarreiras Notícias 42