Siga-nos

Gospel

Pastor americano diz que gays devem ser executados para acabar com a Aids até o Natal

Publicado

em

Correio da Bahia

Anderson disse aos fiéis de sua igreja que a Bíblia defende o genocídio dos homossexuais

Anderson disse que descobriu a cura para a Aids em uma passagem bíblica | Foto: Reprodução

Anderson disse que descobriu a cura para a Aids em uma passagem bíblica | Foto: Reprodução

O pastor americano Steven Anderson afirmou durante um sermão no Arizona, nos Estados Unidos, que para o mundo se livrar da Aids até o Natal é necessário executar todos os gays. Segundo o jornal The Independent, durante o discurso, Anderson disse aos fiéis de sua igreja que a Bíblia defende o genocídio dos homossexuais.

O religioso contou que descobriu a cura para a doença no livro de Levítico. “Nós podemos ter um mundo livre da Aids até o Natal. Ok, não ficaríamos totalmente livres da Aids, mas seria como 90%”, afirmou. O vídeo do sermão foi divulgado no youtube no dia 1º de dezembro.

Para convencer os fiéis, o pastor leu a passagem bíblica em Levítico 20:13. “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse com uma mulher, mesmo ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos. O seu sangue será sobre eles”.

“E isso, meu amigo, é a cura para a Aids”, completou o pastor Anderson dizendo que o mundo está gastando bilhões de dólares em pesquisas para a cura da doença. Ainda em seu discurso, o pastor apresentou dados estatísticos que provariam que a proliferação da doença está diretamente relacionada aos homossexuais.

O pastor afirmou que todos os gays são pedófilos e que as crianças da congregação estavam em risco. Ainda de acordo com o The Independet, Anderson é conhecido por ser fundamentalista e pregador de ódio. Ele causou uma polêmica no ano de 2009, quando teria orado para o o presidente dos EUA Barack Obama morrer e ir para o inferno.

Barreiras Notícias - Fala Barreiras