Siga-nos

Meio Ambiente

Saiba tudo sobre ventilação natural com uso de ventiladores centrífugos

Publicado

em

A ventilação natural com uso de ventiladores centrífugos é extremamente importante, por isso mesmo é essencial que você possa conhecer mais sobre ela.

Vamos começar falando a respeito da ventilação e da definição dela, para tornar mais fácil o entendimento do resto do assunto.

A ventilação, como definição, é a movimentação do ar de maneira intencional e forma planejada com o fim de conseguir obter um determinado objetivo.

A movimentação pode ser realizada através de meios naturais ou por meios mecânicos, sendo necessários alguns equipamentos para essa finalidade.

O equipamento mais importante para gerar ventilação natural é o ventilador centrífugo, que é um dispositivo mecânico que é desenvolvido para movimentar o ar ou os gases.

Para isso, é preciso fazer uso da energia cinética dos rotores, que são acionados através de um motor elétrico, tendo como finalidade aumentar a pressão do fluxo de ar ou de gás.

Essa pressão, por sua vez, tem o objetivo de conseguir movimentar contra a resistência, que é ocasionada pelos filtros, dutos e outros equipamentos.

O ar sempre irá movimentar-se da zona onde existe maior pressão para aquela onde a pressão é menor, então um projeto precisa considerar os diferenciais de pressão no sistema, garantindo seu funcionamento.

Para que seja possível projetar corretamente um sistema de ventilação industrial, tornar-se necessário focar em três processos.

·         Determinar qual é a vazão de ar necessária e qual é o esquema de distribuição do ar no recinto, para ele ser ventilado

·         Fazer o projeto e o cálculo dos dutos e das redes

·         Fazer a seleção dos ventiladores (ou de qualquer outro tipo de sistema de movimentação de ar)

Os sistemas de ventilação podem ser classificados da seguinte forma:

·         Ventilação geral (que pode ser natural ou mecânica): é aquela que realiza a ventilação do ambiente como um todo, podendo ser chamada de Ventilação Geral Diluidora (VGD) e Ventilação Local Exaustora (VLE)

·         Ventilação Geral Diluidora: o método tem como finalidade principal passar uma determinada corrente de ar externo que não seja contaminado por meio do recinto que vai ser purificado, de modo a conseguir eliminar ou reduzir a concentração daquelas substâncias que são indesejáveis. A utilização desse tipo de ventilação é a forma mais econômica para fontes que são contaminantes em concentrações baixas

A VGD pode ser utilizada tanto com a finalidade de ambientes normais, como para os ambientes industriais, sendo usada, nesse último caso, para remover calor, contaminantes ou ainda os dois.

Não basta apenas que haja a renovação do ar no ambiente para que ele venha a tornar-se salubre, é preciso também que esse ar seja distribuído de modo que a taxa de contaminante seja similar em tod os os pontos.

Ela não é recomendada para substâncias que são altamente tóxicas, ou seja, que possuem TLV ≤ 100 ppm).

·         Limites de tolerância (TLV – Threshold Limit Value): esses limites de tolerância referem-se às condições limites da qualidade do ar nos ambientes de trabalho e representa aqueles valores nos quais se acredita que a maior parte dos trabalhadores pode ser exposta de forma repetida sem efeitos prejudiciais para a saúde

Como existe uma variação grande quanto à suscetibilidade individual, então uma pequena porcentagem dos trabalhadores pode sim vir a apresentar algum tipo de desconforto com o uso dessas substâncias que estejam igual ou abaixo do valor limite.

O TLV refere-se diretamente a qual é a concentração média, em um período de tempo, para um dia habitual de 8 horas de trabalho ou uma semana com 40 horas.

·         Ventilação Local Exaustora: esse tipo de ventilação tem como objetivo captar os poluentes de forma direta na fonte, evitando assim a dispersão deles em um ambiente de trabalho. É a fonte de ventilação considerada como a mais adequada para proteger a saúde do trabalhador

O sistema do tipo ventilação local exaustora é composto pelos seguintes equipamentos:

·         Captores: eles são os pontos de entrada dos poluentes mais o gás carreador (que em geral é o ar) dentro do sistema

·         Dutos: eles possuem a função de realizar a o transporte dos poluentes. Eles podem então serem divididos em tramos, em duto principal e em chaminé

·         Filtro: é o equipamento que está destinado à limpeza do ar que é exaurido antes que ele seja lançado na atmosfera. Inclui tudo aquilo que é preciso para que seja realizado o seu correto funcionamento, como é o caso dos trocadores de calor e da pré-filtragem (pré-coletor). A presença do filtro em um sistema vai depender de quais as normas locais de controle de poluição

·         Conjunto ventilador-motor: esse é um conjunto fornecedor da energia que é necessária para se movimentar o fluido e para vencer todas as perdas de carga do sistema

·         Chaminé: é a última parte de um sistema, tendo como finalidade o lançamento do gás transportador junto com a emissão residual direto na atmosfera

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fala Barreiras