Siga-nos

Educação

Vestibular: Saiba como o coronavírus pode ser tema de questões de sua prova

Publicado

em

Vestbular

Você sabia que provavelmente a pandemia pode ser assunto de questões de vestibular? De fato, diante da repercussão e da importância desse evento, é praticamente impossível que o coronavírus não venha a ser tratado em alguma das questões do vestibular.

Mas, afinal, como a COVID-19 poderia ser cobrada? Quanto a isso, é de extrema importância para o aluno Resolver simulados de vestibular e se manter preparado para as diferentes abordagens possíveis. A prova poderá abordar tópicos relativos ao modo como a doença se espalhou, sua classificação e as implicações político-econômicas.

Com o intuito de falar mais sobre esse assunto, explicamos cada uma das possíveis abordagens do coronavírus que podem ser utilizadas para a elaboração das questões do ENEM. Não deixe de ler esse artigo!

Como o coronavírus pode cair em provas de vestibulares?

A nova cepa de coronavírus pode ser abordada em vestibulares sob o prisma de quase todas as áreas de conhecimento.

De fato, esse tema pode se apresentar em questões relativas às várias disciplinas que compõem cada uma das grandes áreas.

Contudo, podemos supor que a pandemia pela qual passamos pode servir como material principalmente para as questões relativas às disciplinas de Humanidades e Ciências da natureza.

A seguir, mostramos de maneira mais específica como a COVID-19 poderá ser abordada em exames vestibulares.

As características do novo coronavírus

Antes de qualquer coisa, acreditamos que questões sobre a estrutura celular e outras características essenciais do novo coronavírus sejam praticamente certas em provas de vestibulares.

Por isso, é fundamental que você tenha em mente que a estrutura desse vírus é composta por proteínas, as quais estão presentes em um envelope membranoso que compõe as células.

Uma das proteínas identificadas pelos pesquisadores é a ACE2, responsável pela entrada do coronavírus em células humanas.

Ademais, as células desse vírus são compostas por material genético em RNA. Esse material é liberado nas células humanas após a infecção.

No entanto, é importante que você esteja atento às notícias sobre o vírus, haja vista que esses estudos não são conclusivos e novas descobertas têm sido feitas a todo momento. Fique esperto!

Sobre a família coronavírus

Podem haver questões também sobre as características da família viral conhecida como coronavírus, da qual faz parte o vírus que provoca a SARS-COV-2.

Sim, a nova cepa que causa a pandemia que sofremos na atualidade não é o único tipo de coronavírus

.

Na realidade, o primeiro vírus dessa família foi identificado ainda no início dos anos 1960.

Alguns desses coronavírus podem causar a Síndrome Respiratória Aguda Grave, conhecida como SARS.

Os primeiros casos dessa síndrome também surgiram na China, no ano de 2002. Nessa ocasião, o vírus conseguiu se espalhar para outros continentes, como a Europa, a América do Norte, a América do Sul e a Ásia.

Na época, cerca de 8 mil pessoas foram infectadas. Desse total, morreram em torno de 800.

No entanto, as autoridades de saúde conseguiram controlar a epidemia em 2003, antes que ela pudesse se transformar em uma pandemia.

Outro tipo de coronavírus foi identificado em 2012, na região do Oriente Médio. A doença causada por esse vírus também tinha como sintoma mais característico a dificuldade respiratória.

Essa doença ficou conhecida como MERS, ou Síndrome Respiratório do Oriente Médio.

As diferenças entre surto, epidemia e pandemia

Recentemente, a OMS classificou o coronavírus como uma pandemia. Mas, afinal, o que é uma pandemia? Você sabe diferenciar as diversas classificações epidemiológicas?

Se não, então vamos a elas! Comecemos pelo conceito de surto. Este é caracterizado pelo aumento rápido de casos em determinada região.

Já a epidemia consiste em diversos surtos de uma mesma enfermidade, que se espalham por várias regiões ao mesmo tempo.

Por fim, a pandemia é a ocorrência de quadros epidêmicos em diversas partes do planeta. Tal é o caso do coronavírus.

Esteja atento a essas definições, haja vista que elas podem ser matéria de prova em seu vestibular!

As implicações político-econômicas da pandemia do novo coronavírus

Se você acompanha as notícias sobre a conjuntura político-econômica, já deve ter percebido que são várias as implicações no cenário mundial.

Isso significa dizer também que questões relativas a essas implicações também devem aparecer em provas de exames vestibulares, pois a maioria dessas provas aborda problemas da atualidade.

Entre os reflexos da pandemia, temos a crise econômica provocada pela interrupção da atividade comercial durante a quarentena. Da mesma forma, no Brasil, temos a crise que atinge o Governo Federal.

Coronavírus no vestibular: de olho nas notícias para fazer boas provas

Como você mesmo pôde perceber a partir da leitura desse artigo, a pandemia de COVID-19 pode ser abordada de diversas formas nos exames vestibulares!

Recomendamos que você continue acompanhando o noticiário, pois as consequências da pandemia ainda não são dimensionáveis.

Por isso, esteja sempre atento às notícias!

Fala Barreiras