Siga-nos

Educação

SAEB 2022:
O que esperar da Educação em Barreiras e quais os níveis de aprendizagem dos alunos após a pandemia

Realizado desde 1990, o Saeb passou por uma série de aprimoramentos teórico-metodológicos ao longo das edições…

Publicado

em

Educação em Barreiras

Imagem meramente ilustrativa | Foto: Depositphotos

A Prova Brasil e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) são avaliações para diagnóstico, em larga escala, desenvolvidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).

Esta avaliação externa de larga escala busca fazer um diagnóstico da Educação brasileira e dos níveis de aprendizagem dos alunos, isto é, uma avaliação de qualidade. Os dados compõem o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Atualmente, o Saeb é o principal instrumento da qualidade da Educação Infantil até o Ensino Médio. Além da avaliação, é aplicado um questionário que visa contextualizar socioeconomicamente os resultados das avaliações. Os dados de avaliação do Saeb compõem a nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) ao lado dos dados de fluxo das escolas (aprovação, reprovação e abandono).

Nesse sentido, as informações obtidas pelo Saeb podem colaborar para o monitoramento e a construção de políticas públicas. Para as escolas, as informações podem colaborar para mapear pontos de desenvolvimento do ensino e aprendizagem.

Nos anos em que a Prova Brasil e o Saeb são aplicados, as secretarias estaduais e municipais de educação e as escolas públicas da educação básica, que possuem turmas de quinto e nono anos do ensino fundamental, recebem os cadernos Matrizes de Referência, Temas, Tópicos e Descritores.

Os cadernos trazem informações aos gestores e professores sobre os pressupostos teóricos que embasam a avaliação, os descritores e uma série de exemplos de itens (questões) sobre língua portuguesa e matemática das séries a serem avaliadas.

Quando o aluno faz a Prova Brasil ou o Saeb, ele não precisa estudar nada além do que já está estudando para a escola. O conteúdo da prova é todo baseado no conteúdo regular da série correspondente. O principal objetivo desta prova é avaliar a qualidade de ensino dos alunos do ensino fundamental I e II de todas as regiões do país. Os resultados são disponibilizados apenas por escola ou grupo municipal, nunca por aluno.

Em Barreiras, Oeste da Bahia, assim como em todo o Brasil, os desafios são enormes para preparar o aluno para o Saeb. Além de ter que desenvolver as habilidades do ano atual, o professor ainda tem que estar de olho nas atividades dos anos anteriores que não foram consolidadas, naquelas do ano letivo atual e naquilo que terá que ser consolidado até o final do ano. Isso requer muito conhecimento e trabalho técnico.

Além disso, a Secretaria de Educação precisa organizar o trabalho pedagógico com instrumentos padronizados nos mesmos moldes do Saeb, da Prova Brasil, para fazer uma avaliação em conjunto. Assim, é possível ter séries históricas de resultados de avaliação para comparar se a educação do município está avançando ou retrocedendo na aprendizagem.

Esse ano, a principal novidade é a avaliação da Educação Infantil, também de forma amostral, com questionários para os secretários municipais de Educação, diretores e professores do segmento.

O Inep, aplicador do exame, também deseja ampliar a utilização dos resultados como uma nova forma de ingresso para as universidades. A avaliação, aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foi reformulada e prevê mudanças já para sua aplicação desde 2021.

Sendo assim, o Saeb passará a ser aplicado ao 2.º ano do Ensino Médio e será implementado sucessivamente em todas as séries do Ensino Fundamental. Sobre a aplicação digital, também será gradativa; as provas do Saeb serão aplicadas em papel até o 4.º ano do Ensino Fundamental e em formato eletrônico do 5.º ano em diante.

Por meio de testes e questionários, aplicados a cada dois anos na rede pública e em uma amostra da rede privada, o Saeb reflete os níveis de aprendizagem demonstrados pelos estudantes avaliados, explicando esses resultados a partir de uma série de informações contextuais.

O Saeb permite ainda que as escolas e as redes municipais e estaduais de ensino avaliem a qualidade da educação oferecida aos estudantes. O resultado da avaliação é um indicativo da qualidade do ensino brasileiro e oferece subsídios para a elaboração, o monitoramento e o aprimoramento de políticas educacionais com base em evidências.

Conforme comenta Isolda Maia, diretora do NTE 11 em Barreiras, “a educação está aí provando que é o norte principal, é o polo principal da nossa vida, faz parte de tudo e eu acredito que essa educação ainda vai mudar muita coisa no nosso país. É através da educação que as mudanças acontecem, então a gente sonha com uma educação melhor. A gente sabe que os índices não são bons, são pequenos, mas a gente espera que a cada dia que passa vai melhorar, vai crescer e vai se desenvolver ainda mais, basta a gente querer”.

De acordo com o Inep, as médias de desempenho dos estudantes, apuradas no Saeb, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Conforme informa Isolda, “O censo em Barreiras já começou e nós já tivemos a primeira reunião online com os municípios, já orientando como é que se faz, que o senso é a alma da escola, então os dados que você coleta, que você coloca hoje na sua unidade escolar vai preparar o planejamento da sua escola futuro, já para o ano que vem. Então o número de alunos que você tem hoje, vai refletir no próximo ano e assim você tem uma ideia da situação da escola. Nós já estamos com a equipe em treinamento, nós vamos receber agora também treinamento em Salvador e a nossa equipe já está se preparando para treinar também os técnicos dos municípios para que não tenha nenhum problema, que graças a Deus até agora não teve problema nenhum com relação à questão do senso”.

Em 2022, a Prova Brasil e o Saeb serão aplicados nas escolas de todo o Brasil na última semana de outubro (entre os dias 21 de outubro a 1° de novembro) e a previsão é que atinja 7 milhões de estudantes.

Sendo assim, é preciso que haja uma organização entre os gestores escolares educacionais, diretores e coordenadores pedagógicos para que consigam mapear o nível de aprendizagem de cada turma e traçar novas estratégias para sanar as brechas deixadas pela pandemia e, assim, traçar novas metas que ajudem os estudantes a alcançar os níveis de aprendizagem não adquiridos nos anos anteriores.

Fala Barreiras