Siga-nos

Educação

Professora Izolda Maia fala sobre os desafios e mudanças para o novo Núcleo Territorial Bacia do Rio Grande

Com grandes desafios após a pandemia, o Núcleo de Tecnologia Educacional de Barreiras tem como objetivo principal possibilitar à rede Estadual de Ensino o conhecimento de novas tecnologias no ambiente educacional e suas possibilidades no contexto do século 21…

Publicado

em

Ambiente Educacional

Professora Izolda Maia reassume a direção do NTE 11 | Foto: Osmar Ribeiro/Falabarreiras

Os Núcleos de Tecnologia Educacionais (NTEs) são ambientes computacionais com equipe interdisciplinar de professores qualificados para promover formação contínua aos professores. Também assessoram escolas da rede pública no uso pedagógico dos recursos de Tecnologia Digital de Comunicação e Informação (TDIC).

Entre as principais atribuições dos NTEs estão  incentivar e colaborar com as escolas para a inserção da tecnologia de informação e comunicação no seu Projeto Político Pedagógico,  promover ações e eventos de formação continuada de professores para uso e compartilhamento de práticas pedagógicas envolvendo as tecnologias digitais de comunicação e informação, visando qualidade e eficiência; desenvolver atividades de formação que privilegiem a aprendizagem colaborativa, cooperativa e autônoma, possibilitando aos professores de diferentes regiões geográficas do estado a oportunidade de intercomunicação e interação com especialistas, favorecendo a cultura de educação a distância.

Além disso, o NTE também é responsável por articular ações e eventos de formação que favoreçam a preparação de professores para uso dos recursos de TDIC de forma autônoma e independente, possibilitando a inclusão dos artefatos tecnológicos à experiência profissional de cada um, visando a transformação de sua prática pedagógica; acompanhar e avaliar in loco os processos relacionados à inserção e inclusão dos TDICs instaurado nas escolas.

Em Barreiras, o NTE 11 está sob a direção da professora Izolda Leite Pereira Maia, licenciada em Pedagogia com especialização em alfabetização que reassumiu o cargo de diretora regional do Núcleo de Tecnologia Educacional desde o dia 5 de novembro de 2021 na Secretaria Estadual de Educação em Salvador.

Ambiente Educacional
NTE 11 em Barreiras, Oeste da Bahia | Foto: Osmar Ribeiro/Falabarreiras

Ao Fala Barreiras, a professora Izolda Maia fala sobre as mudanças e os grandes desafios encontrados no NTE desde que retornou e como tem sido desafiador o papel de gestora diante do contexto em que as escolas estaduais se encontram após a pandemia.

“Eu fiquei um tempo afastada da educação, nesse ínterim aconteceram muitas coisas, eu fui para o Polo da Universidade Aberta como coordenadora, quando eu estava lá me aposentei, fui convidada para assumir o RH da Câmara, fui para o RH da Câmara e achando até que já estava pendurando a chuteira, foi quando fui surpreendida mais uma vez com o convite para retornar… …Confesso que algumas coisas mudaram na educação, porque foram seis anos, cinco anos e pouco afastada, não que eu tenha me afastado completamente, de maneira nenhuma, eu sempre estou buscando ler, me inteirando das coisas, fazendo algumas coisas em casa, participando de alguns projetos, então, afastada completamente eu não estava, mas eu me afastei dessa parte burocrática. Então eu me assustei um pouco foi com isso, muita coisa mudou dentro da estrutura da Secretaria de Educação, começando pelo nome que agora é Núcleo Territorial Bacia do Rio Grande, quando eu saí daqui era Núcleo Regional de Educação, então até isso mudou e mudando o nome mudou também toda a estrutura. Nós ganhamos mais um município que é o município de Buritirama, e agora são 14 municípios contando com Barreiras”

, relata Izolda.

A nova diretora do NTE 11, prossegue: Ganhamos mais o município de Buritirama que não era nosso, Buritirama pertencia a Ibotirama, mas como foi extinto o núcleo de lá e foi criado o núcleo de Santa Maria da Vitória, então Buritirama ficou com a gente. Eu já tinha visitado o município na época que eu estava por aqui, mas essa logística é um pouco difícil para gente devido a distância, mas as mudanças que aconteceram foram bastante positivas, outras nem tanto, mas eu acredito que com o tempo aqui eu estou me inteirando de tudo, estou buscando conhecer, voltar os projetos para a gente poder dar um novo rumo para o núcleo aqui, o Núcleo Territorial de Educação”.

Fala Barreiras