Siga-nos

Educação

Alunos enfrentam problemas emocionais gerados pela pandemia nas escolas de Barreiras

A perda de familiares, o medo de adoecer, separação dos pais, estão entre os principais causadores…

Publicado

em

Problemas Emocionais

Imagem meramente ilustrativa | Foto: Reprodução Portal Iede

O desempenho escolar dos alunos tem sido um tema bastante discutido nas escolas de Barreiras, por causa dos problemas de aprendizagem ocasionados pela pandemia. No entanto, tão importante como criar estratégias para melhorar o nível de conhecimento dos alunos, é cuidar dos problemas emocionais gerados pelo isolamento social e outros traumas enfrentados nesse período de grandes incertezas.

O isolamento social e as mudanças provocadas no cotidiano das crianças e jovens provocaram uma sobrecarga de pressões psíquicas de várias ordens. Desde o início da pandemia, ocorrências de doenças mentais vêm aumentando em toda a população. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), quase 1 bilhão de pessoas vivem com transtornos mentais atualmente. Outra pesquisa, realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), mostrou que 47,9% dos psiquiatras entrevistados perceberam uma alta nos atendimentos realizados após o início da crise pandêmica e 89,2% dos médicos relataram agravamento do quadro psiquiátrico nos pacientes.

Após o período de Pandemia, a saúde emocional das crianças e jovens de Barreiras tem andado bastante abalada, isso porque, durant e a pandemia, além das preocupações com a própria saúde, muitos tiveram que lidar com a perda de familiares e a separação dos pais, desencadeando problemas emocionais e psicológicos, que vão desde respostas de angústia, como ansiedade, depressão, e abuso de substâncias, até mudanças comportamentais, como dificuldade para dormir e alterações alimentares.

Crianças, adolescentes e jovens que passaram por luto ou violência precisam ser acolhidos e apoiados na comunidade escolar, que deverá compreender cada situação e responder de maneira apropriada, pois o estresse causado pelo medo da doença e o possível não aproveitamento do conteúdo pedagógico podem influenciar negativamente na saúde mental dos educandos.

Problemas Emocionais
Imagem meramente ilustrativa | Foto: Reprodução SPonte

Portanto, neste momento, torna-se necessário o engajamento de todos os envolvidos no processo de aprendizagem: Estado, gestores, sociedade e famílias devem se mobilizar ofertando atenção especial à saúde mental das crianças e jovens. Uma das sugestões dos especialistas é conversar com eles sobre ansiedade, o que está acontecendo em seu corpo e por que isso acontece. Muitas crianças e jovens não sabem o que estão sentindo quando estão ansiosos, e isso pode ser muito assustador. Eles podem até pensar que estão doentes ou que algo grave irá acontecer. Nesse sentido, falar sobre os sentimentos de ansiedade pode ajudá-los a saber quando estão ficando ansiosos e posteriormente, a controlar a ansiedade.

Fala Barreiras