Siga-nos

Curiosidades

NASA prevê colapso no clima e aponta regiões do Brasil que terão calor letal

NASA prevê colapso no clima e aponta regiões do Brasil que enfrentarão calor extremo, destacando a urgência de ações contra o aquecimento global. Descubra as áreas afetadas e os impactos

Publicado

em

NASA prevê colapso no clima e aponta regiões do Brasil que terão calor letal

NASA prevê colapso no clima e aponta regiões do Brasil que terão calor letal – Foto: Guilma Mori Ruiz/Pexels

 

A NASA prevê colapso no clima e aponta regiões do Brasil que enfrentarão calor extremo nos próximos anos. Com base em dados de satélite, a agência espacial americana alerta que algumas áreas no mundo, incluindo o Brasil, se tornarão inabitáveis devido ao aumento das temperaturas e da umidade.

Ameaças Climáticas Globais

Sul da Ásia e Golfo Pérsico

Regiões como o sul da Ásia, especialmente o Paquistão, e o Golfo Pérsico já sofrem com calor extremo. A combinação de altas temperaturas e umidade coloca milhões de vidas em risco, podendo piorar nas próximas décadas.

Costas do Mar Vermelho e Leste da China

As costas do Mar Vermelho enfrentarão condições similares às do Golfo Pérsico, com umidade e calor intoleráveis. No leste da China, cidades como Xangai e Pequim podem se tornar inabitáveis, ameaçando a saúde pública e a economia global.

Impacto no Brasil

Regiões Atingidas

A NASA prevê que até 2070, certas regiões do Brasil, como a Amazônia e áreas do centro do país, sofrerão um aumento drástico na temperatura e umidade, tornando-as inabitáveis. Este cenário aponta para um futuro preocupante, onde a sobrevivência e a qualidade de vida estarão em risco devido ao aquecimento global.

O relatório da NASA nos força a refletir sobre a urgência de ações climáticas. O avanço das mudanças climáticas é inegável e requer esforços imediatos e coordenados para mitigar seus efeitos. Sem medidas eficazes, regiões inteiras poderão ser perdidas, impactando não apenas o meio ambiente, mas também a economia e a saúde global.

Redação Site On

Fonte: https://www.diariodolitoral.com.br/