Siga-nos

Construção Civil

Como funciona o IGP-M e o reajuste de aluguéis?

Você sabia que entender como o IGP-M interfere nos reajustes de aluguéis e financiamentos de imóveis pode te ajudar a comprar o seu muito mais rápido? Leia este post para saber mais…

Publicado

em

IGP-M

Imagem meramente ilustrativa | Foto: iG Economia

Conhecer como o IGP-M, índice que serve para correção da inflação, interfere no reajuste de aluguéis é o primeiro passo para quem deseja alugar ou financiar um imóvel.

Quando uma pessoa que aluga ou compra um imóvel conhece e sabe utilizar os índices a seu favor, o controle sobre suas finanças é maior e mais planejado.

E para te ajudar a compreender mais sobre esse assunto, aparentemente, tão complexo, preparamos este artigo te explicando tudo o que precisa saber sobre esse índice. Confira!

IGP-M é a sigla para Índice Geral de Preços de Mercado. Ele é um indicador de preços conhecido como “Inflação do Aluguel”, que, desde 1947, a Fundação Getúlio Vargas registra e torna público para informar a situação do mercado.

Além dos dados referentes ao reajuste de aluguéis, ele mostra também o índice de outros produtos e serviços, como:

  • Matérias-primas industriais e agropecuárias;
  • Energia elétrica;
  • Planos de saúde;
  • Seguros, entre outros.

É importante saber ainda que esse cálculo se baseia em outros três índices, que são:

  • INCC: Índice Nacional de Custos da Construção;
  • IPA-M: Índice de Preços ao Produtor Amplo – Mercado;
  • IPC- M: Índice de Preços ao Consumidor – Mercado.

Mas não se preocupe com isso, você precisa apenas compreender quais são as origens das informações que calculam os índices de preços.

Além disso, precisa saber que os investidores utilizam esses dados para tomar decisões sobre os seus investimentos, sejam eles compostos pelo mercado financeiro, sejam eles pelo imobiliário. 

Outro ponto importante diz respeito às três maneiras que os dados do IGP chegam ao mercado. Confira:

  • IGP-M;
  • Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-D): calcula o mês cheio, isto é, do dia 1º ao 30 ou 31 de cada mês;
  • Índice Geral de Preços 10 (IGP-10): médias aritméticas ponderadas das versões “10” dos índices IPA, IPC e INCC.

Enfim, para chegar ao índice do mês, o Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), um órgão da FGV, analisa a variação dos preços de alguns setores específicos e, em

seguida, aplicam algumas fórmulas e disponibilizam o resultado para todos os interessados.

O que é melhor: alugar ou comprar um imóvel?

A resposta a essa pergunta é: depende.

Como o perfil e o interesse de cada pessoa varia bastante, responder exatamente a essa pergunta não é possível, mas podemos mostrar como fazer a melhor escolha.

Em primeiro lugar, pense em alguns dos seus objetivos para querer alugar ou comprar um imóvel, e quais informações seriam importantes para te ajudar na hora de decidir. Confira algumas sugestões de objetivos:

  • Ter um imóvel próprio;
  • Morar de aluguel para facilitar a mobilidade devido ao trabalho;
  • Viver dos rendimentos vindos de imóveis de aluguel.

Informações importantes para facilitar a sua decisão:

  • Quais são outras opções de índices que interferem no setor imobiliário, por exemplo, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);
  • Qual a sua disponibilidade financeira, ou seja, a sua reserva de emergência.

Em segundo lugar, considere que independentemente da sua decisão, você precisará conhecer como os indicadores influenciam sobre o preço do imóvel. Por exemplo:

  • A interferência da variação cambial no valor do aluguel quando sua base de reajuste é o IGP-M;
  • Como este Índice Geral de Preço interfere nas parcelas de um financiamento imobiliário?

Uma análise cuidadosa desses pontos será decisiva para a sua escolha. Além disso, informe-se sobre quais são as vantagens de ter um imóvel próprio ou alugado. E lembre-se de que o importante mesmo, antes de fechar qualquer negócio, é analisar o mercado imobiliário para saber se está favorável naquele momento.

Como calcular o IGP-M para saber o novo valor do seu aluguel?

Agora confira na prática como calcular o novo valor do seu aluguel.

Para começar, considere um contrato de aluguel que vence no mês de junho, com o valor do aluguel de R$ 2.500,00 mensais. No nosso exemplo, usaremos os dados que a FGV disponibilizou no dia 29/06/22.

A fundação informou, portanto, que o IGP-M de junho de 2022 registrou alta de 0,59% e o percentual acumulado para os últimos 12 meses ficou em 10,70%.

Assim, com esses dados em mãos, multiplicamos R$ 2.500,00 X 1,1070, e o novo preço do aluguel é de: R$ 2.767,50. Logo, esse será o valor do aluguel para os próximos 12 meses que deve constar no seu planejamento financeiro.

A hora da decisão: comprar ou alugar?

Agora que sabe como esse indicador interfere no seu orçamento e nas suas decisões, é hora de pesquisar como comprar um apartamento.

É claro que escolher entre alugar ou comprar um imóvel vai além dos dados numéricos. No entanto, deixar de considerar os números não é uma boa ideia, porque são eles que determinam o seu equilíbrio financeiro.

Nós já comentamos aqui que esse índice também é aplicado no valor das parcelas de um financiamento, mas qual é a diferença então?

A diferença é bem simples! Em um financiamento é possível eliminar taxas e juros antecipando as parcelas ou amortizando o valor total da dívida diminuindo o prazo para quitar o imóvel.

E isso, por si só, já é suficiente para esclarecer qualquer dúvida sobre alugar ou comprar um imóvel, não é mesmo?

Investir em imóveis para alugar

Quem já investe em imóveis para alugar sabe como os indicadores influenciam em seus investimentos; por esse motivo, investidores estão sempre atentos às variações no mercado imobiliário.

E para quem está começando agora, importa, em primeiro lugar, conhecer que existem diferentes maneiras de ganhar dinheiro com aluguel, que podem ser:

  • Locação de longa duração: esse modelo é o tradicional, com contrato de até 30 meses;
  • Locação por temporada: muito utilizado em resorts, colônia de férias, hotéis, Airbnb, entre outros.

Nesse último caso, os ganhos são maiores e a burocracia é menor, por isso, conheça algumas vantagens de investir em imóveis para aluguéis de curta temporada.

Pronto! Agora você tem todas as informações necessárias para escolher um dos apartamentos à venda em São Paulo. Venha nos conhecer!

Fala Barreiras