Siga-nos

Construção Civil

A construção sustentável em Barreiras

Para uma construção sustentável, tudo deve ser pensado, desde a escolha do terreno até o desenvolvimento da construção…

Publicado

em

Construção Civil

Construção sustentável é um conceito que denomina um conjunto de práticas adotadas antes, durante e após os trabalhos de construção com o intuito de obter uma edificação que não agrida o meio ambiente, com melhor conforto térmico sem a necessidade (ou com necessidade reduzida) de consumo de energia e que melhore a qualidade de vida dos seus moradores/usuários, além de utilizar materiais e técnicas que garantam uma maior eficiência energética.

O termo “arquitetura sustentável” surgiu a partir dos anos 90 para reverter o papel da construção como uma das principais fontes de degradação dos recursos naturais. O relatório “Nosso Futuro Comum”, elaborado em 1987 pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento da Organização das Nações Unidas (ONU), criou o conceito de desenvolvimento sustentável.  No entanto, foi a partir da conferência Eco 92, no Rio de Janeiro, que o enfoque ganhou afirmação maior.

Qualquer construção, seja uma casa, uma loja ou uma simples reforma, sempre envolve a questão empresarial e humana. Construir uma obra em um local seguro, saudável e com qualidade de vida é a parte humana. Qualidade na construção, o uso racional dos recursos para que a obra seja sustentável e gere resultados esperados é a questão empresarial. Nos dois casos a sustentabilidade é um fator determinante para o sucesso. Uma construção sustentável começa com a escolha de materiais menos agressivos, duráveis e que exijam o mínimo de impacto possível para sua obtenção.

Em Barreiras, Oeste da Bahia, a busca por práticas sustentáveis na construção civil tem aumentado muito nos últimos anos. Muitas construtoras têm optado por uma edificação que não agrida o meio ambiente, com melhor conforto térmico sem a necessidade, ou com necessidade reduzida de consumo de energia, visando a qualidade de vida dos seus usuários, além da redução do consumo de materiais e energia, minimizando os impactos ambientais provocados pela construção.

Como exemplo disso, a Solare Construtora que desde 2014 atua na cidade com o propósito de reinventar o jeito de viver das pessoas, proporcionando mais qualidade de vida através da inovação na arquitetura e design, da garantia e excelência na construção ecom o foco nas pessoas. “Para nós só faz sentido um negócio se a sua consequência gerar qualidade de vida, com responsabilidade ambiental e valorização dos profissionais envolvidos no processo.” Henrique Leão, CEO e Fundador.

Segundo dados do Conselho Internacional da Construção (CIB), estima-se que mais de 50% dos resíduos sólidos gerados pelo conjunto das atividades humanas sejam provenientes da construção. Além dos impactos relacionados ao consumo de matéria e energia, há aqueles associados à geração de resíduos sólidos, líquidos e gasosos.

Ao se falar a respeito de construção sustentável, o grande desafio é superar a distância entre a teoria e a prática. Neste sentido, as normas técnicas são instrumentos indispensáveis para o desenvolvimento da construção sustentável, na medida em que elas constituem em um meio para as empresas desenvolverem suas economias, a criação e manutenção de um ambiente construído digno para a sociedade.

Uma edificação sustentável começa antes mesmo da construção com a escolha de materiais menos agressivos, duráveis e que exijam o mínimo de impacto possível para sua obtenção. Além disso, deve ser considerada a utilização de materiais reciclados como matéria prima que podem ser classificados em dois tipos: pós-industrial, quando o material reciclado é proveniente de resíduos industriais e pós-consumo. Este é o caso de tijolos, madeira e outros entulhos provenientes de demolições que podem ser aproveitados na construção ou reciclados e transformados em outros materiais como o concreto feito de cinzas de chaminés.

Para uma construção sustentável, tudo deve ser pensado, desde a escolha do terreno até o desenvolvimento da construção. No projeto da casa, é importante fazer um estudo da carta solar para entender a disponibilidade de luz. Também é preciso realizar um estudo com relação à ventilação. Escolha materiais naturais, de fácil acesso, de origem local e com boa relação com o meio ambiente. Blocos, azulejos, concreto e gesso apresentam boa estabilidade em zonas costeiras e colaboram com a durabilidade geral da construção. Só utilizar madeiras certificadas ou de reflorestamento e evitar tintas que contaminam o meio ambiente também são importantes. Além disso, as empresas devem abrir a oportunidade para usar materiais de reuso ou reciclagem. 

Em relação a água das torneiras, chuveiros e descargas, deve-se optar pela instalação de dispositivos que reduzam o consumo, como restrição de vazão, sistema de duplo acionamento de descarga ou interrompíveis e lavatórios com torneiras de fechamento automático. Também é interessante adotar o uso de sistema de energia solar. No início pode parecer um investimento alto, no entanto, esse ganho vai se refletir, tanto na conta de energia lá na frente, como, também, no uso de energias renováveis. Sobre o uso de lâmpadas, é importante optar por opções de baixo consumo, como as de led. A dica vale para os aparelhos eletrônicos, com selo de eficiência. Vale, ainda, utilizar sensores de presença no sistema de iluminação. 

A cobertura vegetal também ajuda a melhorar o desempenho térmico das construções. Pérgulas horizontais ou verticais, venezianas, brises externos e outros protetores solares são mais algumas alternativas de sombreamento que evitam que o sol entre direto na casa em horas mais quentes do dia. 

Parque das Águas
Parque das Águas em Barreiras | Foto: Osmar Ribeiro/Falabarreiras

A implantação de um sistema de aproveitamento de água da chuva e reuso de águas cinza (água de processos domésticos como da lavagem de roupa, pratos ou banho) são fundamentais para uma construção sustentável. Com esse objetivo, O Parque das Águas trouxe para Barreiras uma infraestrutura inédita na região, totalmente sustentável, inteligente e que pouquíssimas cidades no Brasil podem oferecer, e isso se traduz em qualidade de vida. “Buscamos valorizar a fauna e a flora local. Assim, você pode aproveitar os espaços para ficar próximo da natureza, curtir a família e a tranquilidade de uma vida mais saudável, cercada por muito verde”. Vale lembrar que o projeto paisagístico do bairro planejado Parque das Águas foi desenvolvido para redução de impactos, com preservação das árvores de grande porte, arborização, paisagismo e lago.

Por fim, quando se falaem reduzir impactos ambientais, não dá para ter uma casa com sistema solar de energia e não se preocupar com os resíduos. Deste modo é necessário tratar os sólidos e separar os resíduos orgânicos dos recicláveis. A matéria orgânica pode ser usada em compostagem.

Fala Barreiras