Siga-nos

Agro

Agricultura regenerativa: saiba como funciona

Publicado

em

Agricultura

A agricultura regenerativa trabalha com diferentes técnicas agrícolas e tem como objetivo conservar e reabilitar sistemas agrícolas e alimentares.

Seu principal foco é a regeneração do solo para aumentar a biodiversidade, ampliar os serviços do ecossistema, melhorar o ciclo da água e, com isso, superar mudanças climáticas, além de fortalecer a saúde e a vitalidade das terras usadas.

Esse tipo de agricultura está se destacando muito no Brasil e se tornou referência no mundo todo, uma vez que muitas de suas técnicas têm sido implementadas na prática.

Sua prioridade é a sustentabilidade ambiental e a saúde das pessoas, dois aspectos vistos como desafios da sociedade moderna.

A agricultura é fundamental para o cultivo de alimentos consumidos no dia a dia, mas as práticas comuns acabam agredindo o meio ambiente, o que também prejudica a qualidade do cultivo.

Muitos estudos e profissionais da área procuram desenvolver maneiras de melhorar esse processo, e esse esforço colaborou para o surgimento de uma agricultura mais limpa e sustentável.

Para entender um pouco mais sobre o assunto, neste artigo, será possível ver qual é o conceito de agricultura regenerativa, sua importância, quais são os seus principais objetivos e veja algumas técnicas.

O que é agricultura regenerativa?

A agricultura regenerativa é um modelo agrícola que acredita que é possível produzir enquanto a terra é recuperada e preservada. Tem como foco restaurar áreas degradadas, conservar as espécies de animais e aumentar a captura de carbono no solo.

O modelo foi criado na década de 1980 e cada vez mais se destaca entre os produtores de alimentos no mundo todo.

Trata-se de um conceito desenvolvido pelo agricultor estadunidense Robert Rodale, trazendo uma abordagem holística para a produção, de modo a resgatar princípios presentes na agricultura orgânica.

Várias soluções, como telhado transparente retrátil, têm como propósito preservar o meio ambiente, tendo em vista que a sustentabilidade é um assunto muito em pauta e urgente nos dias de hoje.

A agricultura também está se adaptando a essa necessidade, e embora sua versão regenerativa não tenha uma definição unânime, ela defende a possibilidade de produzir enquanto a terra se recupera.

É uma maneira inteligente de preservar o meio ambiente, conservar espécies polinizadoras, como no caso das abelhas, restaurar o solo degradado, reter mais água e aumentar a captura de carbono. Algumas de suas principais práticas são:

  • Promover o bem-estar animal;
  • Reduzir o uso de fertilizantes;
  • Reduzir a quantidade de defensivos;
  • Reduzir o calor do solo.

Também envolve a adoção de rotação de culturas, inserção de plantas de cobertura, manter o desenvolvimento de outras plantas na pastagem e incentivar práticas justas de trabalho para os agricultores.

Importância da agricultura regenerativa

Muitas coisas evoluíram ao longo do tempo, em vários mercados e setores, como a criação de cambio automático Audi A4. Com a agricultura não foi diferente, e a versão regenerativa é importante por diversos fatores.

É muito comum se atentar à fertilidade química do solo, sem analisar a fertilidade física e biológica, e isso acontece porque os agricultores foram ensinados a conhecer os atributos químicos, por meio de uma análise química estática.

Isso acaba ignorando as relações e interações que ocorrem entre solo, planta e microrganismos, responsáveis por promover a nutrição das plantas de maneira mais profunda e larga.

Prender-se à química do solo acaba salinizando sulcos de plantio com grandes doses de fertilizantes solúveis. Quando eles entram em contato com o solo, complexo um rapidamente e ficam indisponíveis quando não lixiviados ou volatilizados.

O propósito da agricultura regenerativa é conservar e reabilitar os sistemas alimentícios e agrícolas, independentemente da maneira como essa abordagem acontece.

Simplificando seu propósito, baseia-se na premissa de que cuidar do solo é importante para que ele cuide do restante.

Uma escola que oferece curso primeiros socorros avançado investe na manutenção preventiva de seus equipamentos, uma vez que o conserto pode custar muito mais caro, e a agricultura regenerativa segue a mesma linha de raciocínio.

Os custos envolvidos na recuperação do solo são muito maiores do que os investimentos necessários para aplicar uma agricultura sustentável, capaz de cuidar do solo do jeito certo e evitar sua degradação.

Ela evita problemas que possam comprometer a capacidade produtiva, e por essa razão se torna uma alternativa barata e eficiente para promover a saúde do solo no Brasil.

Objetivos da agricultura regenerativa

A principal finalidade da agricultura regenerativa é atingir objetivos que, quando atuam em conjunto, conseguem melhorar a saúde do solo.

Entre seus propósitos está a regeneração da camada superficial do solo, aumento da biodiversidade, aprimoramento do ciclo das águas, melhoria em serviços ecossistêmicos e apoio à biofixação.

Fazer manutenção preditiva em redutores de velocidade é essencial para manter o funcionamento desses elementos, e o solo precisa de atenção, antes que comece a se degenerar.

O apoio à biofixação ocorre por meio da captura e armazenamento de carbono atmosférico, por meio de processos biológicos, e outro objetivo da agricultura regenerativa é fortalecer a vitalidade e saúde dos solos agrícolas.

Esse trabalho vai além de práticas sustentáveis, na verdade, propõe práticas que objetivam a saúde do solo, a conservação de recursos hídricos e a captura de carbono.

É imprescindível que a agricultura possa produzir alimentos saudáveis, sustentáveis e de boa qualidade. Mais do que isso, sua produção precisa ser econômica, sendo objetivo de pessoas que vivem no campo e na cidade.

Em linhas gerais, é por meio dela que os agricultores conseguem promover a saúde do solo, o bem-estar dos animais e ter acesso à justiça social para todos os trabalhadores rurais.

Embora a agricultura regenerativa tenha mais de quarenta anos, cada vez mais chama a atenção da sociedade, e é justamente por isso que vem sendo empregada no mundo todo.

Principais técnicas de agricultura regenerativa

Esse tipo de agricultura vai além de preservar ou restaurar florestas, adicionar matéria orgânica ou aprimorar a fertilidade do solo.

A evolução da sociedade incrementou facilidades, como o serviço de guincho mensal, mas no caso da agricultura regenerativa, ela envolve o sequestro de carbono para eliminar as emissões na atmosfera.

Como resultado, reduz a poluição da água e do solo, ao mesmo tempo em que diminui os insumos químicos e aumenta a biodiversidade. Quanto mais florestas são polpa da e o carbono armazenado, mais ar puro para respirar e reduzir o efeito estufa.

Os habitats naturais também são poupados e isso ajuda a preservar a biodiversidade. Para isso, os agricultores precisam investir nas seguintes técnicas:

Plantio direto

O plantio direto reduz a perturbação do solo, diminuindo a erosão e as emissões de dióxido de carbono. Ele acontece por meio de perfuradores especializados ou plantadores de discos.

Por causa disso, o cultivo de pastagens faz parte da agricultura regenerativa, caso os grãos sejam utilizados como gramíneas para pastoreio.

Assim como um fabricante de tapete personalizado para empresa investe em práticas sustentáveis, a agricultura regenerativa permite que os agricultores evitem solos nus, combatendo a erosão.

Compostagem

A compostagem ocorre por meio de matéria orgânica e restaura a fertilidade do solo, um dos principais objetivos desse tipo de agricultura.

A concentração de matéria orgânica nas camadas superiores varia entre 3% e 5%, e deve ser incorporada no perfil do solo, por cerca de 6 polegadas.

Quanto ao chá de compostagem, trata-se de um líquido de infusão que fornece todos os microrganismos e nutrientes vitais para que as plantas possam crescer.

Pastoreio holístico

Fazer uma análise de água mineral é fundamental para garantir sua qualidade, inclusive quando se destina aos animais.

Quando o pastoreio é planejado de maneira holística, ocorre o uso rotativo das pastagens que se assemelha ao comportamento natural dos animais.

Quando se movem de uma área para outra, eles consomem ervas frescas e suas fezes verdes ajudam a aumentar a fertilidade dos pastos, possibilitando o crescimento de ervas em outros terrenos.

Aquacultura ecológica

A agricultura regenerativa também se refere à aquacultura, por meio da plantação de bandas-tampão ribeirinhas que reduzem a sedimentação e o escoamento da água.

Também oferecem sombra e alimento para os animais aquáticos, por meio de folhas de árvores. Isso acaba por reduzir os insumos químicos agrícolas que poluem a água quando saem das terras agrícolas.

Considerações finais

Empresas dos mais variados segmentos, como uma confecção de jaqueta impermeável personalizada, investem em práticas sustentáveis para preservar o meio ambiente, e a mesma situação se aplica à agricultura.

O plantio regenerativo tem como propósito preservar e regenerar o solo, ao mesmo tempo em que sequestra carbono na atmosfera e melhora a qualidade do plantio.

Investir nessa prática é muito importante para preservar o meio ambiente e garantir que as atividades agrícolas não prejudiquem o ecossistema.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Fala Barreiras